Clube Brasileiro de Trens Fantasmas: Dezembro 2016

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Recesso de férias, até 2017!


A temporada de 2016 acabou, chegou a hora de dar aquela paradinha, voltaremos em janeiro de 2017 trazendo muitas novidades assustadoras para vocês.

Nesse ano de 2016 ultrapassamos a meta de 500.000,00 visualizações em nosso blog e isso só foi possível graças a todos vocês que acessam o nosso site diariamente.

Enquanto isso não deixe de curtir a nossa página no Facebook e até 2017!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Krampus está vindo para a cidade


Papai Noel não está vindo para a cidade este ano.

Pelo menos não na casa de Michael Dougherty, que trouxe o lendário demônio do Natal no estilo que aparece no filme "Krampus- O Terror do Natal".

O americano de Austin Joseph Anthony Fotinos construiu uma réplica fiel e de tamanho natural do Krampus visto no filme de Dougherty e, assim como ela aparece em determinada cena do filme, colocou a criatura assustadora no topo de seu telhado, dando um toque assustador ao bairro e fazendo ganhar vida essa antiga lenda natalina.

O sucesso da decoração foi tanta que até o próprio diretor do filme compartilhou ela em suas redes sociais.

Confira a decoração:

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Conheça lendas urbanas natalinas da cidade de Curitiba

Natal curitibano esconde muitos mistérios..

Curitiba é terreno fértil para o florescimento de lendas urbanas. E no Natal a situação não é diferente. Tomado pelo espírito natalino, capaz de fazer desabrochar sentimentos como solidariedade e compaixão, este período é marcado pelo surgimento de lendas revestidas de uma forma diferente, mais amena e simpática.

De acordo com Luciana do Rocio Mollon, curitibana apaixonada por lendas e causos desde a infância, em geral essas histórias, que nascem do imaginário popular e ganham vida no seio da sociedade, no boca a boca, costumam ser repletas de fantasmas, espíritos e mistérios. Quando relacionadas com o Natal e o simpático Papai Noel, contudo, acabam se revestindo de um outro caráter, contando lições de amor e amizade.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Curtas para espalhar o terror na noite de Natal


As mesmas piadinhas, as mesmas músicas, as mesmas picuinhas de família, o mesmo especial do Roberto Carlos na Globo, a mesma comida, os mesmos film..que tal renovar esse ano?

Confira sete curtas para espalhar o terror no Natal. Depois não esqueça de dizer nos comentários qual desses curtas você achou o mais assustador..

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Casa assombrada faz sucesso no Shopping Iguatemi de Fortaleza


Um vídeo de suspense e terror está despertando a curiosidade nas redes sociais. Trata-se da Casa 106, nova atração do Shopping Iguatemi Fortaleza. Mais de 100 mil pessoas já visualizaram o vídeo que mostra a reação das pessoas ao entrarem na residência da família Shultz.

Gritos e olhares assustados são algumas expressões vistas pelas pessoas que estão passeando pela casa mal assombrada montada no shopping desde o começo de dezembro, a atração está localizada no segundo piso da expansão, das 13h às 22h.

O espaço é todo inspirado em vários filmes de suspense e terror, dos clássicos aos mais recentes. A antiga residência da família Shultz guarda segredos e histórias assombrosas em cada um dos cômodos escuros e cheios de efeitos especiais. 

A casa da família Shultz costumava ser a mais tranquila da rua, mas isso mudou no aniversário de 7 anos de Emily, a filha caçula. Emily se disse encantada com um presente, uma boneca que chamou de Ameli. Naquela mesma semana, estranhos fenômenos ocorreram. A casa escureceu, gritos de agonia foram ouvidos do porão. Emily e sua família desapareceram. Não se sabe o que aconteceu. Há boatos de membros da família e fantasmas circulando no local, mas para confirmar os visitantes tem que ter coragem para entrar no imóvel e sorte para sair.

A atração ficará no shopping até o dia 31 de março de 2017. Mas o sucesso do equipamento é tão grande que a gerente de marketing do shopping Iguatemi, Rachel Mendonça, já estuda até um prolongamento da permanência da casa no local. “A gente vendo o sucesso, a gente fica mais tempo sim, com certeza”.

Teaser


Comercial



Serviço

Casa 106
Local: Shopping Iguatemi – 2º piso da expansão (ao lado do Itaú)
Horário: diariamente das 13h às 22h
Valor: R$ 15
Atração não recomendada para crianças pequenas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Peça teatral sobre lendas urbanas de Cuiabá vence prêmio Brasil Criativo


O espetáculo Passeio Noturno foi o projeto vencedor na etapa final da categoria Teatro, pelo Prêmio Brasil Criativo, a premiação oficial da Economia Criativa no Brasil!

O lema do prêmio é “valorizar a criatividade presente na alma de todo brasileiro”, a apresentação do passeio noturno criado por eles mereceu o prêmio. Trata-se de uma viagem iniciada em um ônibus de turismo, com trechos a pé, pelo centro histórico de Cuiabá.

De acordo com um dos criadores do espetáculo, é um aparente fim de dia como outro qualquer, até que o público chega e o passeio é iniciado. Nesse momento, lendas desabrocham com a chegada do entardecer.

"Nosso misterioso guia é surpreendido pela sua falecida noiva de branco na frente do cemitério. Ela o aguarda para concretizar seu último desejo: o casamento. Dali, o público é transportado a um suspense cômico, conhecendo uma Cuiabá sob uma perspectiva diferente, misteriosa, sombria, porém festiva, romântica e aventureira".

Espetáculo ocorre nas ruas da cidade e o preço é apenas uma passagem de ônibus


Confira a matéria feita pela TV Assembleia MT:

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Loja lança suéteres para espalhar o terror nesse Natal

Suéter inspirado na lenda natalina do Krampus

No Natal dos Estados Unidos por ser no inverno um dos presentes mais comuns é o suéter natalino, porém muitas pessoas, principalmente os jovens, acham brega e ultrapassado receber um suéter de presente. 

Tentando contornar isso a loja virtual Mob lançou uma coleção de suéteres pra lá de inovadores e que fogem bastante do tradicional, alguns deles são baseados em filmes de terror como Contos do Dia das Bruxas, A Hora do Pesadelo, Halloween, outros em personagens do folclore americano como o Pé Grande, também tem inspirados em lendas natalinas assustadoras como o terrível Krampus, em personagens clássicos da literatura como o temido Cthulhu de H.P Lovecraft e tem até mesmo inspirados  em bandas como o Iron Maiden e em seriados assustadores como The Twilight Zone.

Confira:

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Artista insere vilões assustadores do cinema em desenhos infantis


O artista americano Steve Jencks resolveu misturar duas de suas grandes paixões, desenhos animados e filmes de terror.

Entre suas criações podemos ver uma mistura inusitada de Charlie Brown com Krampus- O Terror do Natal, As Meninas Superpoderosas com Re-Animator- A Hora dos Mortos Vivos, Looney Tunes com Donnie Darko, Pocahontas com Sexta Feira 13, Scooby Doo com Evil Dead- A Morte do Demônio, Snoopy com Contos do Dia das Bruxas, Aquaman com O Monstro da Lagoa Negra e por aí vai..

Eu não sei vocês, mas eu sempre sonhei com uma versão desses desenhos para adultos, com esses monstros inseridos então... ficaria perfeito!


Confira seu trabalho:


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Espetáculo sobre lendas urbanas de Cuiabá concorre como melhor peça de teatro do Brasil

Próxima apresentação ocorrerá em 2017


O espetáculo Passeio Noturno, do grupo de teatro Tibanaré, está entre os finalistas do Prêmio Brasil Criativo. A votação foi feita pela internet, por meio do site do prêmio. No espetáculo, os atores percorrem de ônibus o Centro Histórico de Cuiabá, retratando as histórias antigas da arquitetura, dos fatos históricos e lendas urbanas.

Eles concorrem ao prêmio com o Circuito de Teatro em Português e o Festival de Teatro Universitário (Festu). A premiação será amanhã, dia 15 de dezembro.

O grupo Tibanaré criou esse espetáculo em 2009 e foi premiado pela Fundação Nacional de Arte (Funarte), em 2011, para executar uma pesquisa sobre as lendas urbanas no centro histórico de Cuiabá. Essa pesquisa resultou na primeira versão do espetáculo em que o público acompanhou 11 personagens pelas ruas vivendo algumas lendas.

Em 2015, o espetáculo teve uma temporada de 28 apresentações, com ingressos que custaram apenas uma passagem de ônibus.

Uma das lendas contadas é de uma falecida noiva de branco que costuma perambular pelas ruas da cidade na calada da noite. Ela aparece para os homens sozinhos, já que procura um marido para viver uma grande história de amor.

A experiência aconteceu dentro de um ônibus coletivo, adaptado e personalizado para o espetáculo, que levava o espectador em um percurso pela cidade, apresentando o patrimônio material sob uma nova perspectiva.

Espetáculo ocorre nas ruas da cidade e o preço é apenas uma passagem de ônibus

Os personagens ficam espalhados pelo caminho, entre elas a falecida noiva de branco, Seu Chico, a fofoqueira vendedora de conversas e chás de feitiço, a velha alma moradora de rua e o coveiro com um defunto que faz serestas.

Na peça, o público conhece a capital através de uma perspectiva festiva, misteriosa, romântica e aventureira. Ao todo, 11 atores participam do espetáculo. A segunda edição do espetáculo está prevista para 2017.

O concurso tem 22 categorias, que, por meio de uma seleção de projetos inscritos por meio de uma plataforma online, passam por um processo de seleção feita pelos curadores, profissionais de renome nacional na área, que fazem a seleção dos concorrentes de cada categoria. Eles concorrem pela categoria teatro. A votação terminou no sábado (3).

"Estamos felizes com a seleção feita pela equipe de curadores e pelo reconhecimento que esse concurso gerou para o nosso trabalho e para nosso estado. Queremos ir para a final e ganhar o prêmio, pois isso irá abrir muitas portas para a realização da segunda temporada do espetáculo, ainda em 2017", explicou Alexandre Ferreira, diretor e fundador do Grupo Tibanaré.

O Prêmio Brasil Criativo é uma iniciativa da Projecthub, em parceria como o Governo do Estado de São Paulo e a 3M.

Noiva Fantasma interage com o público que percorre diversas ruas de Cuiabá para conhecer as lendas dos locais

Fonte: G1

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Terror nacional O Rastro promete aterrorizar os cinemas em 2017


Ano que vem teremos um filme de terror 100% nacional nos cinemas, filmado em um hospital abandonado no Rio de Janeiro, o terror "O Rastro" deverá chegar por aqui no dia 30 de março de 2017 e promete dar o que falar.

Confira abaixo a sinopse do filme, o trailer e a experiência aterrorizante que rolou na Comic Con Experience desse ano, onde os visitantes corajosos tiveram que explorar um hospital abandonado repleto de segredos.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Sucesso de Stranger Things acaba com luzes de Natal em lojas do Reino Unido

Luzes natalinas em falta em rede de lojas do Reino Unido, a maior parte das compras foi feita em outubro, para festas de Halloween temáticas


Coisas estranhas estão acontecendo na B&Q, uma cadeia inglesa de lojas de objetos para casa: desde o lançamento de Stranger Things pela Netflix, em junho, as luzes de natal são achados cada vez mais raros nas filiais. De acordo com uma nota de imprensa publicada pela B&Q, os estoques de luzes de natal já estão 90% vazios por causa da demanda criada pela série.

A falta de luzes de natal está tão feia que até Mike Norton, diretor de vendas do B&Q, se pronunciou: “A popularidade de Stranger Things teve um efeito completamente inesperado nas vendas dos nossos leds natalinos: foi o nosso melhor ano de vendas desse produto graças à série”. Pena que foi na época errada: a maior parte das compras foi feita em outubro, para festas de Halloween temáticas.

Há dois meses, ninguém se importaria em não encontrar essa mercadoria específica à venda. Mas agora, a poucos dias do natal, os ingleses estão ficando desesperados: está difícil demais encontrar os pisca-piscas coloridos que, na série, são usados por Joyce (Wynona Ryder) para entrar em contato com o filho, Will (Noah Schnapp), no Mundo Invertido. Tanto que a gigante inglesa decidiu fazer um apelo brincalhão aos clientes:

A loja também diz que a B&Q “não pode se responsabilizar” por danos causados por demogorgons [o monstro da série] neste natal. Pelo menos, eles entraram na brincadeira, né?

“Atenção: este produto não deve ser usado para contatar o Mundo Invertido”.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Franquia Resident Evil volta as origens com Resident Evil 7: Biohazard


E quem estava em dúvida se o novo Resident Evil 7 seria realmente um jogo de terror, agora não restam mais indagações, a Capcom divulgou três novos vídeos de gameplay de Resident Evil 7: Biohazard. Eles reúnem cenas dentro da casa da família Baker, localizada em um sombrio pântano de Louisiana nos Estados Unidos e mostram os perigos, quebra-cabeças e desafios assustadores que esperam os jogadores quando eles entrarem lá.

Achamos que o game realmente aparenta ter ficado incrível e finalmente Resident Evil parece ter voltado as origens.


Confira os 3 novos vídeos de gameplay divulgados:






Data

Resident Evil 7: Biohazard será lançado para PlayStation 4, Xbox One e PC em 24 de janeiro de 2017.


Confira o trailer:

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Primo do Krampus: Pelznickel, tradição do assustador "Papai Noel do Mato" se populariza em cidades de Santa Catarina

O Pelznickel ou Papai Noel do Mato, como também é chamado, sai às ruas com vestes em trapos, muita barba de velho, folhas, chifres de animais, chicotes e correntes fazendo barulho e cobrando a obediência das crianças.


Eles vêm do mato, são verdes, não trazem presentes e ainda perseguem as criancinhas no Natal. Alguns têm chifres, outros apenas folhas secas e barbas de velho. Todos têm um objetivo em comum: cobrar o bom comportamento das crianças.

Segundo a lenda, o Pelznickel (pelz, em alemão, é pelagem e Nickel, o diminutivo de Nicolau) aparece somente em dois momentos do ano: no dia de São Nicolau, em 6 de dezembro, e na véspera do Natal, dia 24. No restante do ano, ele mora na floresta, no meio do matagal. 

O Pelznickel é uma tradição alemã de Natal que é preservada no município de Guabiruba há mais de 180 anos.


Tradição começou a se popularizar em Guabiruba-SC



Em Guabiruba- SC, agora conhecida como Terra do Pelznickel, as ruas ficam cheias para acompanhar a passagem das criaturas, com muitos pais com os filhos nos braços e no ar, um clima de suspense. Até que, de repente, os monstros surgem do nada correndo atrás dos pequenos com cordas e correntes nas mãos e fazendo muito barulho.

Transformados em monstros, pais assustam os próprios filhos que saem correndo após os verem com a fantasia completa. Na roupa, há adaptações para combater o calor do verão brasileiro, com um canudo com água que fica colado à máscara para refrescar o corpo durante o desfile. No passeio, a maioria das crianças foge. Até os bonzinhos e comportados têm medo. Mas alguns exibem uma impressionante coragem.

– Não tenho medo, não tenho medo – gritam (e garantem) alguns pequenos.

Com a cartinha e a lista de presentes nas mãos, Olívia Kohler, de quatro anos, aguardava a chegada do Pelznickel com um pouco de medo e uma dose de curiosidade. Ela se escondeu atrás da avó quando um dos monstros chegou perto, mas entregou a ele a cartinha endereçada ao Papai Noel.

O pai de Olívia, Arisson Sérgio Kohler, 32 anos, garante ao Pelznickel que pegou a cartinha da filha que ela é obediente e que até ajuda a cuidar do irmão mais novo.

– Ela estava ansiosa com a chegada do Pelznickel e ainda funciona dizer que ele vai pegá-la, caso não se comporte – revela o pai, que também passou muito medo na infância com a tradição.

Assim como seus pais e avós faziam, as crianças ainda entregam as chupetas antes do Natal para o Pelznickel com receio de não receber o presente do Papai Noel. No chifre de um dos monstros, vários bicos adornam a fantasia: uma conquista mostrada com orgulho e como um troféu pelo ser mitológico.


Em alguns países de língua germânica o tal "monstro" é um personagem que se assemelha ao diabo ou a um bicho muito feio e peludo, com garras e chifres enormes, que acompanha o Papai Noel (Weihnachtsmann) ou o São Nicolau (Heilige Nikolaus) na entrega dos presentes. Enquanto que um distribui os presentes às crianças que se comportaram durante o ano, o outro leva embora as mal-criadas para longe de seus pais - para sempre!

Na Alemanha, Hungria, Liechtenstein, Eslovênia, Áustria, sul do Tirol, Suíça, Eslováquia, República Tcheca e Luxemburgo o personagem é conhecido como Krampus e, regionalmente, Pelznickel. Nos municípios colonizados por imigrantes teutos no sul do Brasil o personagem do Pelznickel é mais presente.

No município de Guabiruba/SC foi fundada em 2005 uma sociedade que tem como objetivo preservar a tradição do Pelznickel, trazida há quase 200 anos pelos imigrantes germânicos.

Com a ajuda da Sociedade do Pelznickel, a cidade de Guabiruba prepara a entrega dos presentes e, ao mesmo tempo, "ameaça" com a chegada do Pelznickel. Muitas crianças se escondem; outras gritam "Não tenho medo!", e quando o personagem aparece, a diversão começa.

Em algumas famílias, pais, irmãos e tios se fantasiam de Pelznickel para assustar as crianças, mas tudo não passa de uma brincadeira. No final, todas ganham seus presentes.



Diversas cidades catarinenses foram invadidas pelas criaturas


Cidades catarinenses como Pomerode, Brusque, Rodeio, Indaial, entre outras, também já receberam eventos natalinos com o Pelznicke.

A Fundação Cultural de Brusque-SC, por exemplo, está incentivando a criação de grupos de Pelznickels no município. A ideia partiu do historiador Álisson Castro, que integrou a Sociedade do Pelznickel, de Guabiruba, e agora, pretende fomentar o personagem em Brusque.

“A ideia é fomentar o Pelznickel nos bairros, que cada grupo seja autônomo, não esteja ligado a um único grupo grande. Não dá para desvirtuar, o objetivo é trazer um Natal mágico para as crianças e que elas possam refletir um pouquinho sobre seu comportamento”.

De acordo com ele, muitas pessoas assistem aos desfiles e ficam interessadas no personagem, gostariam de participar também, mas não sabem como começar. “Uma das ideias é que a Fundação Cultural forneça esse contato e que explique sobre o personagem, qual o verdadeiro intuito, ensine a confeccionar as roupas e, assim, cada um fazer em sua comunidade”, destaca.

Castro é morador do bairro Santa Terezinha e já começou a encarnar o personagem nas ruas do bairro. “Eu acho que quanto mais tiver nos bairros, sem uma ideia de centralização, melhor. Cada um faz na sua comunidade”, destaca.

O historiador ressalta que há 40, 50 anos, essa prática acontecia no bairro Santa Terezinha. “Eram poucas as residências, então todo mundo se conhecia, a pessoa que normalmente encenava o Pelznickel normalmente sabia quem era a criança mal comportada, estava inserido em uma atmosfera de comunidade. Esse é o objetivo desse chamado”, diz.

Para ele, a personagem tem um caráter pedagógico. “Fazer a criança abandonar seus vícios, que possa respeitar mais os adultos, reforçar o vínculo entre o adulto e a criança. Essa prática acabou sendo espetacularizada, e o principal objetivo é despertar uma reflexão da criança sobre seus atos”.

Castro ressalta que a intenção é fazer uma releitura do personagem, principalmente, com relação à vestimenta. “Temos que ter a preocupação ambiental, então se há 150 anos era normal pegar barba de velho, gamiova, hoje temos que entender o nosso momento. A ideia é mudar um pouco a característica, usar trapos, considerando que somos o Berço da Fiação Catarinense, temos a possibilidade de criar com outros materiais”.

Durante muitos anos, Luiz Heil, de 65 anos, foi morador do bairro Santa Terezinha. Hoje, ele mora em Barra Velha, Litoral norte de Santa Catarina, mas lembra com carinho da época que andava pelas ruas do bairro brusquense vestido de Pelznickel.

Seu Luiz seguia a tradição de seus antepassados e, foi observando um primo, que ele decidiu encarnar o personagem. O Pelznickel dele, no entanto, era um tanto quanto diferente dos personagens que hoje são famosos em Guabiruba.

“O Pelznickel é o contrário do Papai Noel. Eu botava uma roupa velha, paletó e calça do avesso, cinta, um facão de madeira, vara de marmelo e o sino para chamar a atenção. A máscara era feita com um pacote de trigo, onde eu colava a barba de velho e colocava chifre”, diz.

Com essa caracterização, ele saía pelas ruas do bairro cobrando obediência das crianças. “Eu fazia a entrega dos presentes na árvore de Natal, fazia as crianças rezarem, e se o pai dizia que a criança foi mal criada e pedia pra eu dar uma varada, eu fazia. Muitas vezes, as crianças se escondiam debaixo da cama, dentro do guarda roupa e eu tirava elas do esconderijo e dava uma varada simbólica”, conta.

Já se a criança teve um bom comportamento durante o ano, o Pelznickel era bonzinho. “Eu tinha que ter responsabilidade. Se a criança era boazinha, eu tinha que falar coisas bonitas, incentivar, para que ela continuasse assim. Se ela foi ruim, eu tinha que ser bravo”.

Ele lembra que em uma de suas andanças, chegou a mandar uma criança para o hospital. “A criança começou a xingar minha mãe e a querer a puxar minha máscara, tive que reagir, quanto mais apanhava, mais malvado ele era”.

Seu Luiz afirma ser o único que fazia o personagem no bairro. Ele recorda que se vestiu de Pelznickel até a década de 1970, depois disso, passou a ser Papai Noel. “Assustava muito as crianças, então quando meus filhos nasceram, comecei a ser Papai Noel e também já estava perigoso andar assim nas ruas, levava muita pedrada, as crianças não respeitavam mais”.

Apesar de tudo, ele sente muita saudade da época que encarnava o personagem. “Eu faria tudo de novo, tenho saudade. Lembro que muitas vezes a criança tinha um comportamento ruim, o Pelznickel brigava e, no outro ano, ela se comportava bem. Isso era muito bom”.

Quem também tem lembranças do Pelznickel em Brusque é Valdir Panca, de 70 anos. Ele cresceu com o seu pai, Nicanor Panca, como o personagem no Natal. “Naquela época, na década de 1950, ele se vestia de ‘Pencinique’, mas era diferente do que conhecemos hoje. Ele vestia uma roupa vermelha ou xadrez, vinha com uma sinetinha e usava máscara com barba de algodão. Era o que hoje conhecemos como Papai Noel, mas chamávamos de ‘Pencinique’”.

Sua família morava próximo ao Mont Serrat e recorda que o seu pai, no dia 24 de dezembro, visitava a casa dos vizinhos como o personagem para entregar os presentes. “Nós enfeitávamos a árvore e, de repente, o pai sumia e logo o ‘Pencinique’ aparecia com os presentes”, lembra.

De acordo com o historiador, esse ritual veio junto com os imigrantes provenientes da região de Baden, na Alemanha. Por muito tempo, o personagem era a referência que os brusquenses tinham do Natal.

No entanto, a partir da década de 1960, o Papai Noel chega a Brusque, junto com as grandes lojas de departamentos. O personagem vermelho chega na cidade com força e, em meados da década de 1970, muitos brusquenses já se caracterizavam assim. “De início, o Papai Noel era considerado exótico, tal qual o Pelznickel é hoje. O pessoal estranhava porque ele não castigava, não batia, era só bonzinho. Depois da década de 1970, com a televisão, essa personagem acabou adentrando no imaginário popular e, com o crescimento da cidade, acabou se popularizando a ponto do Pelznickel ser deixado de lado”.

                            Álisson Castro decidiu retomar o costume em Brusque-SC.


Tradição chegou a Blumenau-SC para o Natal 2016


A organização do evento Magia de Natal, de Blumenau, anunciou que a partir deste ano irá incluir o Pelznickel entre as atrações da programação. O Papai Noel do Mato ficou famoso em Santa Catarina após a criação da Sociedade do Pelznickel, que difunde a tradição em Guabiruba. Embora a inclusão do Pelznickel signifique a sua popularização, o fato é visto com ressalva por quem preserva o costume.

O Magia de Natal é um evento tradicional no fim de ano em Blumenau, que ocorre entre novembro e dezembro. Vários turistas de diversas cidades e até de fora do país passam pela Vila Germânica para ver as atrações.

Luiz Koerich, diretor de eventos e operações do Parque Vila Germânica, afirma que a organização sentiu a necessidade de buscar novas atrações para este ano. Foi realizada, então, uma reunião, na qual surgiu a ideia do Pelznickel, o Papai Noel do Mato, que era muito popular na Alemanha há muito tempo.

Segundo Koerich, foi feita uma pesquisa que indicou que o Pelznickel é muito popular em Guabiruba. A organização resolveu, então, adotar a tradição, “importando-a” do outro município.

Fora da edição do ano passado do Magia de Natal, o famoso passeio de trenzinho retorna à programação com uma novidade: a aparição durante o trajeto do Pelznickel (Papai Noel do Mato), uma versão selvagem e mais rude do bom velhinho, já tradicional em Guabiruba, que pretende assustar crianças que não se comportam.

A notícia de que Blumenau passará a contar com o Pelznickel circulou rápido e chegou à Sociedade do Pelznickel, entidade de Guabiruba dedicada à preservar a tradição. O vice-presidente Fabiano Siegel afirma que a principal diferença é que eles fazem tudo por amor, não pelo dinheiro.

“As outras pessoas fazem pelo lado econômico, não pela tradição”, comenta.

Costume mantido em Guabiruba-SC, "Papai Noel do Mato" fará aparição durante o percurso do tradicional passeio de trenzinho do Natal de Blumenau-SC.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

O misterioso trailer do terror A Cura


O esperado filme de terror psicológico "A Cura" ganhou um trailer sensacional e pra lá de intrigante durante a CCXP - Comic Con Experience 2016.

O mesmo é dirigido por Gore Verbinski (O Chamado, Piratas do Caribe) e já tem data no Brasil, anote na agenda, o filme deverá chegar por aqui no dia 16 de fevereiro de 2017.



Sinopse

Um jovem e ambicioso executivo é enviado para buscar o CEO de sua empresa em um "centro de bem-estar"; idílico, mas misterioso, em um local remoto nos Alpes suíços. Ele logo suspeita que os tratamentos milagrosos do spa não são o que parecem. Quando ele começa a desvendar os segredos aterrorizantes do lugar, sua sanidade é testada e ele é diagnosticado com a mesma curiosa doença que mantém todos os convidados ali à espera da cura.



Confira o trailer:

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Jogue agora Overcursed, game inspirado em Stranger Things


Quem gosta de Stranger Sthings vai pirar com esse jogo feito em apenas 2 dias levemente inspirado no seriado, no game entramos na pele de um detetive de uma empresa chamada Overcursed, que é especializada em investigar coisas estranhas que andam acontecendo nas casas dessa cidade.

Será que você consegue o ajudar a desvendar os mistérios?

Para jogar clique aqui


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Cientistas especulam a maior possibilidade da aparência dos alienígenas

Cientistas descobrem que a vida pode ser baseada em silício. Se você quer imaginar um alienígena real, esqueça o ET e pense na Horta, de Star Trek (foto).


Uma nova descoberta da CalTech, o Instituto de Tecnologia da California, pode mudar tudo o que sabemos sobre como a vida se forma – e do que são feitos os extraterrestres.

Quando buscamos evidências de vida extraterrestre, geralmente temos dois objetivos: 1) encontrar água e 2) encontrar matéria orgânica. Se você se lembra das aulas de química, sabe que moléculas orgânicas são aquelas que têm como base o carbono, que se liga aos demais elementos para formar tudo aquilo que chamamos de vida – pelo menos no planeta Terra.

O silício seria um ótimo candidato a parceiro do carbono para abrigar a vida: também é capaz de fazer 4 ligações atômicas e formar longas cadeias, além de ser o segundo elemento mais comum na nossa crosta terrestre. Ainda assim, na Terra, o silício fica de um lado e a vida do outro: não existe um único ser vivo por aqui que consiga incorporar o silício naturalmente, formando ligações carbono-silício.

Até agora, é claro. Os pesquisadores da CalTech conseguiram, pela primeira vez, fazer com que células vivas criassem a conexão entre o carbono e o silício, usando apenas os princípios de Darwin: evolução acelerada em laboratório.

Os cientistas selecionaram uma espécie de bactérias que vive em fontes termais da Islândia. O citocromo c, uma proteína que fica dentro das mitocôndrias, foi a escolhida para tentar alcançar o feito de unir naturalmente o silício e o carbono.

Eles criaram diversas mutações para o DNA que codifica essa proteína. Aí, escolheram as que pareciam mais adequadas e foram refazendo essa seleção artificial até chegar na proteína desejada: “É como cruzar cavalos de corrida”, explicou Frances Arnold, chefe do laboratório responsável pela pesquisa. “Você precisa reconhecer a habilidade inerente do cavalo e extraí-la a cada geração. Estamos fazendo isso com proteínas”.

Demorou apenas três “rodadas” de cruzamentos entre as mutações mais favoráveis para que as enzimas estivessem criando as ligações silício-carbono – e com 15 vezes mais eficiência do que qualquer reação química feita antes em laboratório.

Para a indústria, isso pode significar uma diminuição enorme de custos. Hoje em dia, criar a ligação de forma sintética envolve metais preciosos, solventes tóxicos e muito processamento. Já versão “natural” feita por enzimas realiza a reação em água e em temperatura ambiente.

Tá, mas e os aliens?

O estudo mostra que a natureza é capaz de se adaptar para incorporar silício em moléculas baseadas em carbono. E faz isso muito rápido: em células simples mutadas em laboratório, levou só 3 gerações para acontecer – praticamente a velocidade da luz em termos evolutivos.

Só esse fato já aumenta muito as chances de que, em outro planeta e em outras condições, tenha surgido matéria orgânica com base em silício. Isso pode mudar completamente nossa concepção de seres alienígenas: ao invés dos extraterrestres que vemos no filme Alien, pode ser que o Universo contenha parentes da Horta, uma espécie inteligentíssima com base em silicone que apareceu na série original de Star Trek.

Imaginar como seria o metabolismo de um alien de silício, no entanto, é um exercício interessante. Quando liberamos energia através da respiração, temos um composto de carbono oxidado – o CO2, ou gás carbônico. Facinho de eliminar, certo? Com o silício não é tão simples: o subproduto da respiração, nesse caso, seria o dióxido de silício. É a sílica, o principal componente… da areia de praia. Imagine ter que excretar um pequeno Saara todos os dias, a cada fungada. Seria uma boa explicação para o mal humor dos ETs em Independence Day.


Relembre a aparência da criatura de Star Trek:


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Sons assustadores são ouvidos em mina abandonada na Austrália

Interior da mina de Waldeck, onde sons assustadores foram ouvidos


Estranho e perturbador. Essas palavras definem a experiência vivida por um australiano, que captou sons considerados ‘demoníacos’, por muitos internautas. O fato aconteceu ao explorar uma mina de ouro abandonada há 150 anos, na Austrália, no final de novembro.

O vídeo, com 14min50seg de duração, divulgado no canal do explorador, no Youtube, mostra em detalhes a chegada do sujeito na mina de Waldeck.

Apesar da longa gravação, a maior parte das imagens exibem o destemido australiano a explorar diversos ambientes do local, sozinho.

Contudo, se você, caro leitor, deseja ir direto para o que interessa, adiante a filmagem para 12min10seg. A partir daí, o cenário - que já estava parecido ao de um filme de terror - se torna horripilante.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Brincadeira de realidade virtual sai errado em curta de terror



Inspirado em filmes de terror como "Quando as Luzes se Apagam" e lembrando bastante a terceira temporada do seriado Black Mirror.

O cineasta inglês JamesMansell criou um curta de terror tecnológico, onde uma brincadeira de realidade virtual sai terrivelmente errado..

Assista abaixo: