Clube Brasileiro de Trens Fantasmas: Outubro 2016

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Descubra como o Halloween é comemorado em várias partes do mundo



A tradição do Halloween começou na Irlanda. Mas hoje em dia é celebrada em diversos outros países do mundo, inclusive no Brasil, onde hábitos como o de ir de porta em porta atrás de doces, enfeitar as casas com adereços "assustadores" e participar de festas a fantasia vêm se tornando mais comuns.

Atualmente, o festival tem diferentes finalidades: celebra os mortos ou a época de colheita e marca o fim do verão e o início do outono no hemisfério norte. Ao mesmo tempo, vem ganhando novas formas e dado a oportunidade para que adultos brinquem com seus medos e fantasias de uma forma socialmente aceitável.

Ele permite subverter normais sociais como evitar contato com estranhos ou explorar o lado negro do comportamento humano. Une religião, natureza, morte e romance. Talvez seja este o motivo de sua grande popularidade. Confira como ele é comemorado ao redor do mundo:

"Horror Gran Hotel" celebra 15 anos de Hora do Horror no parque Hopi Hari


A temporada de Halloween "Hora do Horror" está rolando no parque temático Hopi Hari, esse ano o evento completa 15 anos e recebeu o tema "Horror Gran Hotel", a temática gira em torno de um misterioso hotel que chegou ao parque hospedando os personagens das edições anteriores do evento.

Seu dono, Mago Eigon (Hora do Horror 2006: Sob o Domínio das Sombras), tentou comprar um asilo para transformá-lo no hotel de seus sonhos. Depois de ver seus planos frustrados, decidiu usar seus poderes de magia negra para colocar fogo no prédio, matando todos queimados vivos por pura vingança.

Anos depois o hotel foi inaugurado, recebendo muitos hóspedes famosos e da alta sociedade, até que uma misteriosa comitiva das trevas se hospedou no local, o hotel nunca mas foi o mesmo, os ambientes ganharam ares sombrios, que guardavam segredos e maldições nunca antes revelados.

Em pouco tempo, assustados com o que viam a noite, os hóspedes abandonaram o hotel. Para recuperar a clientela, Eigon decidiu fazer um Baile de Debutantes para sua filha (A garotinha de 6 anos da Hora do Horror 2007: Pesadelos) que comemora 15 anos. Foram convidados os seus amiguinhos que a conhecem desde criança. Eles jamais se esquecerão desta festa – se tiverem coragem de ficar até o final.



Túneis


Hotel Eigon


O Hotel Eigon abre suas portas em uma grande reinauguração. Mas é preciso ter coragem para entrar nesse luxuoso hotel decadente. Faça seu check-in na recepção e será encaminhado a conhecer as suas terríveis acomodações, tente não incomodar os hóspedes e cuidado que você poderá encontrar velhos amigos.

Localizado em Aribabiba (Atrás do Palácio da Justiça).


Asilo


Bem vindo ao Asilo. Um local de descanso e paz de quem já viveu o suficiente para contar boas histórias.  Mas a maldade de Eigon transformou esse antigo paraído em um verdadeiro purgatório, com um pouco de coragem e muito sangue frio tente não se assustar com o que encontrará em cada cômodo, aliás as aparências enganam!

Localizado em Mistieri (Atrás do Katakumb).



Áreas de Susto


As regiões de Wild West e Mistieri entraram no clima do evento, ao andar por elas poderá encontrar os personagens de edições passadas da Hora do Horror, confira alguns dos personagens que poderá encontrar nessas ruas:

1. Debutante - (2007 - Pesadelos)
2. Eigon, o Bruxo - o pai da debutante - ( 2006 - Sob o Domínio das Sombras)
3. General Usher - (2015 – A Cidade dos Esquecidos)
4. Infectado - (2015 - Cidade dos Esquecidos)
5. Palhaço 13 - (2014 - A Loja de Brinquedos)
6. Vampira Punk - (2012 - A Lua Negra)
7. Palhaço do Martelo - (2014 - A Loja de Brinquedos)
8. Chapeuzinho Vermelho - (2013 - Historias para Você Não Dormir)
9. Chapeleiro Maluco - (2013 - Historias para Você Não Dormir)
10. Vampiro Nosferato - (2012 - Lua Negra)
11. Lobo - (2012 - Lua Negra)
12. Cientista Infectado - (2011 - Epidemia)
13. Cozinheiro Infectado - (2011 - Epidemia)
14. Jack - (2010 - Museu de Cera)
15. Palhaço Branco - (2009 - Circo dos Horrores)
16. Palhaço da Boca - (2009 - Circo dos Horrores)
17. Boneco Ventríloquo - (2014 - A Loja de Brinquedos)
18. Torturador - (2008 - Sete Jogos do Medo)
19. Zumbi Canibal – (2002 - O Medo Nunca Foi Tão Real)
20. ORC 01 (2006- Sob o Domínio das sombras)
21. Bruxa Branca ( 2013- Era uma Vez...Historias para você não dormir)
22. Condessa -(2010 - Museu de Cera)
23. Dono do Circo - (2009 - Circo dos Horrores)
24. Ana Belle - (2014 - A Loja de Brinquedos)
25. Rei do Jogo de Xadrez - (2014 - A Loja de Brinquedos)


Balada do Horror


O palco representa o lobby do Horror Gran Hotel, é lá que ocorre o macabro baile de debutantes, poderá assistir os shows de abertura e encerramento do evento e participar da Balada do Horror comandada pelo DJ Pedro Zanquim Mattos e com toda a animação do apresentador Nildo Jaffer que comandava as Noites do Terror do Playcenter.

Localizado no gramado central do parque.






Serviço:

Hora do Horror 2016: Horror Gran Hotel
Data: De 4a feiras à Domingos até 11 de dezembro de 2016
Horários: Das 10:30 hs às 20:30 hs
Endereço: Hopi Hari – Rodovia dos Bandeirantes, km 72, Vinhedo – São Paulo

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

“Máquina de pesadelos” usa inteligência artificial para criar cenas de terror para o Halloween

Castelo da Cinderela, da Disney, passou de cenário de sonhos para cenário de pesadelos


Uma máquina de pesadelos está utilizando inteligência artificial para criar cenas assustadoras para o Dia das Bruxas, no dia 31 deste mês. Desenvolvido por uma equipe do Massachussets Institute of Technology (MIT), o algoritmo da “Nightmare Machine” transforma pontos turísticos mundialmente famosos, cenas cotidianas e até mesmo pessoas em cenas dignas de filmes de terror.

De acordo com o site do projeto, o grupo usou algoritmos de aprendizagem profunda (deep learning) para compreender o que seria, por exemplo, uma cidade com aspecto tóxico ou uma casa com ar de mal-assombrada.

Dessa maneira, o sistema consegue gerar novas figuras, cada uma dentro de um estilo predeterminado.

“Há séculos, em todas as geografias, religiões e culturas as pessoas tentam encontrar maneiras inovadoras de assustarem umas as outras. (...) Este desafio é especialmente importante em um momento onde nós queremos saber quais são os limites da inteligência artificial: será que as máquinas podem aprender a nos assustar?”, diz o portal.

A Nightmare Machine disponibiliza as imagens geradas em uma conta no Instagram, onde é possível encontrar de fotos da candidata à presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton a imagens do Rio de Janeiro em uma versão pós-apocalíptica.

No site do projeto também é possível votar nas imagens mais assustadoras, processo que auxilia o algoritmo a identificar o padrão e reproduzi-lo de maneira mais acertada.

Seleção de rostos considerados assustadores pela "máquina dos pesadelos".



Confira algumas das imagens transformadas pela "máquina de pesadelos":


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Burger King se fantasia de McDonald’s para "assustar" no Halloween


Halloween: dia de escolher uma fantasia assustadora. Pois, nos EUA, o Burger King resolveu se fantasiar… de McDonald’s.

Em uma piada de Dia das Bruxas, a marca postou fotos onde “fantasia” seu hambúrguer Whopper de sanduíche do McDonald’s.

Quando a pessoa abre a caixa, a mensagem “Bu! Brincadeira, nós ainda grelhamos no fogo os nossos hambúrgueres” – uma menção ao carro-chefe da marca: dizer que suas carnes são feitas como churrasco na grelha, diferente dos concorrentes.


A brincadeira saiu na página da agência DAVID The Agency Miami, que é responsável pelo marketing do Burger King.

“O Burger King mais assustador no mundo”, eles escreveram.

O letreiro de uma lanchonete da marca em Nova York também foi coberto com um lençol branco, como um fantasma.

As sobrancelhas do fantasma lembram os arcos dourados do McDonald’s.

Nessa semana, o BK divulgará o vídeo especial da campanha de Halloween.



Confira como ficou a decoração:




Fonte: Exame

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Warner Bros exibirá filmes de terror de graça em cinema de SP para comemorar o Halloween

Cena de "Entrevista com o Vampiro", um dos filmes que serão exibidos no cinema


Se você é de São Paulo-SP e adora filmes de terror, essa dica é perfeita. A Warner Bros. Home Entertainment promove, no Caixa Belas Artes, uma edição especial de corujão, com nove filmes exibidos gratuitamente. Os ingressos ficam liberados exclusivamente na bilheteria do cinema depois das 23 horas do mesmo dia.

Confira a programação:

Sala Old School
Alien: O Oitavo Passageiro
Gremlins
A Ilha do Dr. Moreau



Sala dos Possuídos
Invocação do Mal
Invocação do Mal 2
O Exorcista



Sala dos Mal-Ajustados
Sexta-Feira 13
Entrevista com o Vampiro
A Orfã




Já escolheu em qual sala você se enquadra?

Ficamos sabendo que além dos filmes, também terá diversas surpresas assustadoras pra quem estiver no local, mas isso é segredo!

Serviço:

Data: 28 de outubro
Horário: 00h (ingressos à partir das 23h)
Preço: Gratuito
Endereço: Caixa Belas Artes – Rua da Consolação, nº 2423

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Alucinações assombram pequena cidade nos EUA

Até agora ninguém conseguiu explicar o estranho fenômeno


A madrugada avançava, fria e escura, na pequena cidade de Coos Bay, Oregon, EUA. A enfermeira Clara Martins* estava cuidando de uma senhora de 78 anos quando, de repente, algo a assustou: um grupo de pessoas estava vandalizando seu carro, estacionado bem em frente à casa da velhinha. Apavorada, Clara chamou a polícia e se escondeu – mas quando os oficiais chegaram, não encontraram nada: o carro estava intacto e não havia nem sinal dos vândalos. Eles acabaram indo embora; Clara sacudiu a cabeça, achando que era cansaço, e continuou cuidando de sua paciente.

Duas horas depois, porém, a cena se repetiu: a enfermeira viu um grupo de pessoas destruindo seu carro. Ela chamou a polícia de novo e, mais uma vez, eles não encontraram absolutamente nada. Preocupados com a sanidade mental da enfermeira, eles a levaram para o hospital de Bay Area, onde ela foi submetida a uma série de exames que não encontraram nada de errado.

Só isso já seria meio perturbador, mas tem mais: Clara não foi a única a ter alucinações naquele dia. Na verdade, quatro outras pessoas demonstraram os mesmos sintomas – e todas tiveram contato com a enfermeira. A primeira foi a velhinha de quem Clara estava cuidando; depois, foram os dois policiais que atenderam ao primeiro chamado da enfermeira. Por fim, um funcionário do hospital disse que estava vendo coisas.

Todos foram hospitalizados e passaram por exames, mas nada de anormal foi encontrado nos cérebros deles. Agora o mais bizarro: naquela tarde, toda a área em que Clara esteve (a casa e a ala inteira do hospital) foi isolada em quarentena, checada e descontaminada, mas nada que justificasse a mini epidemia foi encontrado – nenhuma fonte de contaminação, nenhum resto de drogas, nada. Tanto a casa quanto o hospital, assim como o sangue dos pacientes, estavam limpos de qualquer estimulante alucinógeno.

Até agora, ninguém conseguiu explicar o estranho fenômeno, digno de um livro de Stephen King ou de Stranger Things. Mas a polícia e os médicos do hospital deram algumas hipóteses: a mais aceita é que as alucinações tenham sido causadas pela exaustão das pessoas envolvidas – afinal, quatro delas tinham empregos emocionalmente desgastantes (enfermeira de idosos, funcionário de hospital e policiais), e uma delas estava em uma idade avançada. A de Clara, especificamente, pode ter sido fruto do contato com drogas contra Parkinson.

Só essa explicação, porém, não dá conta da coincidência do encontro entre os “alucinados” no mesmo dia. Alguns médicos do hospital acham que a culpa pode ser de algum fungo, cujos esporos estavam “viajando” pelo ar nas redondezas bem naquela hora – isso explicaria por que todo mundo que esteve perto de Clara teve as alucinações: os esporos devem ter ficado presos na roupa e nos cabelos da enfermeira, e podem ter sido aspirados por acidente. Mas não havia nenhum traço anormal no sangue das pessoas “contaminadas”.

Uma terceira explicação, que talvez seja a mais plausível se a gente combinar com a primeira, é uma coisa chamada “Efeito Fogueira”: uma ilusão compartilhada por várias pessoas em uma situação estressante (como, por exemplo, uma noite no meio do mato, sem outra iluminação além de uma fogueira: se alguém ouve passos, você começa a ouvir também). Isso faz sentido: os policiais ficaram assustados logo na primeira vez que Clara os chamou, e aí, quando levaram a enfermeira para o hospital, comentaram com os funcionários sobre a situação esquisita. E aí, todo mundo ficou com medo junto e acabou desenvolvendo os mesmos sintomas mentais.

Ainda assim, ninguém tem certeza dessa hipótese: pelo que a gente sabe, podem ter sido aliens tentando dominar as mentes dos seres humanos, o Governo fazendo experimentos com uma pequena cidade ou até o começo de uma epidemia zumbi – causo bom para ser contado nas festinhas de Halloween.

* Nome fictício

Foto aérea da cidade de Coos Bay, população de apenas 15.000 habitantes



Reportagem publicada originalmente no site da Superinteressante.
Fonte: Exame

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Luzes de Halloween 2016


Chegou aquele momento do ano em que você confere as melhores decorações musicais de Halloween, já virou tradição em nosso blog, desde 2011, selecionamos as melhores decorações musicais do dia mais horripilante do ano.

Para esse ano notamos que está sendo tendência fazer decorações com músicas da trilha do filme "Esquadrão Suicida", embora não seja uma produção de terror, a aventura de ação da Warner Bros possui alguns dos vilões mais temidos do cinema como o Coringa e a Arlequina. Também tivemos aumento das decorações com a música tema de Ghostbusters, isso já era esperado, pois a nova versão de "Caça-Fantasmas" chegou nas férias de julho nos cinemas. Também está sendo comum decorações inspiradas no terror "A Bruxa de Blair".

Outra tendência que notamos nesse ano é que algumas decorações estão sendo filmadas com drones, proporcionando assim um aspecto de imersão ainda maior em quem assiste os vídeos pela internet. Muitos estão usando tecnologia de projeções, o mais comum é para colocar efeitos de fantasmas nas janelas, mas também podemos encontrar aqueles que fazem projeções na fachada inteira da residência para fazer cenários dignos de filmes, como por exemplo, uma batalha pirata.

Notamos também muitas decorações com músicas pertencentes a trilha sonora da animação "O Estranho Mundo de Jack", é verdade que isso é comum em todos os anos, mas não na quantidade que vimos esse ano, os americanos parecem adorar cada vez mais essa animação da Disney, é quase obrigatório toda decoração ter pelo menos uma das músicas do desenho. Também tivemos muitos que se aproveitaram das aparições de palhaços macabros e criaram verdadeiros circos dos horrores em seus jardins.

Não deixe de conferir as edições anteriores do nosso especial Luzes de Halloween: 2011, 2012, 20132014 e 2015.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Que tal passar a noite de Halloween no castelo do Drácula?


A noite de Halloween vai certamente tornar-se inesquecível para quem ganhar o mais recente concurso da AirBnb. 

Lembra deles? Ano passado eles ofereceram uma noite de Halloween nas Catacumbas de Paris e o vencedor do concurso foi um brasileiro, o serviço número um de alojamento comunitário está oferecendo a temida noite de 31 de outubro no Castelo de Bran, monumento do século XIV, que serviu de inspiração para o filme “Drácula de Bram Stoker“. O hóspede ganhador do concurso se sentirá o próprio Drácula e terá até um caixão de veludo para dormir.

Localizado na Transilvânia, Romênia, perto de uma pequena localidade com pouco mais de cinco mil habitantes, o Castelo de Bran foi o que serviu de inspiração para as gravações do filme “Drácula de Bram Stoker”, de 1992. O castelo pode ver-se no filme quando Jonathan Harker (interpretado por Keanu Reeves) viaja num carro pela Transilvânia para chegar ao topo da colina onde está o forte.

O castelo está neste momento à responsabilidade de Dacre Stoker, sobrinho-bisneto do escrito Bram Stoker, que para além de ser um apaixonado pela obra do seu tio-bisavô vai acompanhar os convidados durante toda a estadia e contará as lendas do local.

“Tenho muitas histórias para contar enquanto guio os meus hóspedes através das passagens obscuras do castelo. Bram Stoker recorreu a muitas pessoas reais e a episódios históricos, questionando se os vampiros eram, na realidade, somente um mito”, explicou Dacre.

Não é só a pernoite, que será passada num luxuoso caixão de veludo, a estadia inclui também uma visita ao castelo incluindo o acesso a uma passagem secreta que conduz à sala de jantar. Alí será servido o jantar cujo menu é exatamente igual àquele que foi servido ao Drácula no filme: um prato de carne e outro de frango com pimentões vermelhos acompanhado de vinho. No dia seguinte, o pequeno almoço está também incluído.

Para entrar no concurso, cada participante terá de escrever um texto entre 50 e 500 caracteres respondendo a pergunta: “O que diria ao Conde se o visse cara-a-cara com as suas presas no próprio castelo?”. As despesas relativas ao transporte estão também asseguradas. 

Clique aqui para participar e ver as regras da casa, onde, naturalmente, é proibida a entrada de alho ou de cruzes de qualquer tipo, muahauahuahua


Confira algumas fotos do que a noite reserva ao corajoso que ganhar esse concurso:



E para ir se preparando para a estadia, nada melhor do que assistir o trailer do filme "Dracula de Bram Stoker":

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Mirabilandia se transforma em antiquário para comemorar os 15 anos de Hora do Terror


O parque de diversões Mirabilandia, que fica no Complexo de Salgadinho, em Olinda-PE, estreia o espetáculo Imortais, que faz parte da temporada de 2016 da Hora do Terror, um dos maiores eventos temáticos de terror da América Latina, e que ocorre desde 2002. A estreia é amanhã, sexta-feira 21, das 18h às 20h, na área de eventos do parque, e é de graça para quem estiver brincando no Mirabilandia.

A diretora geral da Hora do Terror, Cleo Henry, adianta que o espetáculo vai contar com mais de 100 atores, figurantes e bailarinos no elenco, trilha sonora inédita com destaque para sons eletrônicos, figurino e palco gigante. Segundo ela, a estória se passa em uma cidade fictícia onde um antiquário guarda muitas relíquias assombradas. Uma coleção que parece incompleta é o gatilho inicial para o desenrolar da trama. A diretora, porém, prefere guardar surpresa sobre o desfecho do espetáculo.

Cleo Henry informa que este ano terá cinco labirintos inéditos que prometem surpreender o público. São eles: brinquedoteca, onde o público vai encontrar personagens em forma de bonecos dos filmes de terror; a hemeroteca, local onde estarão cantores, atores e personalidades; a videoteca, lugar aterrorizante com personagens clássicos dos principais filmes de terror; a biblioteca, onde o público vai poder encontrar personagens mitológicos, como faunos e medusas; e, por fim, o porão, lugar onde o público vai encontrar diversos personagens de terror como piratas, canibais e vampiros.

Um grande show pirotécnico marca a abertura e o encerramento do espetáculo que não é recomendado para pessoas cardíacas, hipertensas, grávidas ou que estejam com bebês. É recomendado crianças menores de 12 anos estarem acompanhadas. O passaporte para brincar no Mirabilandia custa R$ 80 e a meia-entrada R$ 40; o passaporte família para três pessoas custa R$ 125 e para quatro, R$ 165. Nas Loterias Caixa de todo o país, o passaporte pode ser comprado pelo valor da meia-entrada mediante a apresentação do número do convênio 20911489 e do código do parque, que é o 121170. Nas sextas-feiras, o Mirabilandia abre das 14h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 15h às 21h.

Confira o comercial:

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

A bruxa está solta nesse jogo de terror em VR inspirado na lenda da Bruxa de Blair


Com a chegada do Halloween no próximo dia 31, o terror está no momento mais oportuno entre os jogadores. O gênero é uma boa aposta para quem estiver investindo na tecnologia de realidade virtual, agora com boas opções no mercado – HTC Vive, Oculus Rift e PlayStation VR. O dispositivo da Sony, aliás, tem tido recepções mistas, mas ao menos há uma boa leva de títulos para o acessório. Um deles é o vindouro A Haunting: Witching Hour, que promete dar sustos de pular da cadeira.

A Haunting: Witching Hour é um jogo de terror e sobrevivência desesperador. Uma experiência imersiva aguarda os jogadores, que vão encontrar uma rica história que explora os cantos sombrios da natureza humana. O jogo se desdobrará em episódios, dando aos jogadores a oportunidade de continuar a desvendar um complexo mistério por meio de conteúdos baixáveis que pegam o gancho deixado ao final do episódio anterior”, diz a descrição do título, desenvolvido pela Enyx Studios.

O primeiro capítulo desse esquema episódico que o estúdio quer seguir começa em 1975 e tem, como protagonista, o personagem John Beaumont. “Enquanto mostra as minerações da família a potenciais compradores, o grupo desaparece. Algumas semanas depois, quase desistindo das chamadas por buscas, a polícia local se depara com o corpo dos dois compradores em uma mina de ouro abandonada. John Beaumont nunca foi encontrado. Os jogadores assumem o papel do personagem e devem lutar pela sobrevivência para enfrentar os horríveis fatos que ocorreram naquela noite de 10 de outubro de 1975”, conclui a equipe.

O jogo promete chegar em breve para Playstation VR.



Enredo

Em 1695, Elizabeth Ainsley foi acusada de ser uma bruxa. Ela foi traída pela pessoa que mais amava, o reverendo James Beaumont. Mal sabia ele o terror que estava prestes a desencadear sobre a pequena cidade de Shady Hollow.

Na década de 1940, Cliff Beamount iria ressuscitar a empresa de mineração que foi aberta várias décadas antes por seu pai. Vários meses após a reabertura das minas, sua filha Sally desapareceu misteriosamente. Durante semanas, as pessoas da cidade reviraram os bosques e as minas de carvão, mas tudo que eles acharam foi um sapato que pertenceu a Sally. A maioria acreditava que Sally deve ter se afogado em um riacho, enquanto outros acreditavam que era a maldição da bruxa.

Um ano mais tarde, tanto Cliff e Linda Beaumont ficaram doentes e logo vieram a falecer. Dizia-se que a perda de sua filha era algo triste demais para eles lidarem. João, sendo o único membro restante da família Beaumont, foi levado para um orfanato.

Cerca de 35 anos depois (1975), John, agora um homem adulto foi abordado por outra empresa de mineração que estava de olho para comprar a Beaumont Coal Company. A empresa de carvão foi abandonado depois da morte de seus pais, John concordou em vender sua parte da empresa. Na manhã de 10 de outubro de 1975, John e dois mineiros iriam viajar através do bosque para tirar amostras de minerais em um dos locais de mineração mais lucrativos em Shady Hollow. Nenhum deles iria voltar dessa viagem.

Após várias pesquisas, apenas os dois mineiros foram encontrados. O que a polícia encontrou com eles foi algo que os iria aterrorizar para sempre.

Na primavera de 2015, 5 cineastas indie viajaram para Shady Hollow para fazer um documentário sobre o desaparecimento dos dois mineiros em 1975 e a família Beaumont. Depois de chegar, eles logo descobrem que os habitantes da cidade de Shady Hollow são de poucos amigos e muito resistentes a falar sobre o passado conturbado da cidade. Eles logo começam a descobrir a lenda urbana da Bruxa que assombra as matas circundantes de Shady Hollow.



Confira o teaser:

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Brasília terá ópera 'sangrenta' no mês do Halloween



Algumas histórias de amor se tornam atemporais. Envolvem e emocionam as pessoas para além do tempo. Pensando nisto e em resgatar um pouco do romantismo trágico do século 19, o diretor e cantor Jean Nardoto vai estrear em Brasília a clássica ópera Lucia di Lammermoor.

A obra do italiano Gaetano Donizetti será retomada com o mesmo tom da versão original que estrou em 1835, em Nápoles, na Itália. Jean vai mostrar, sem papas na língua, o lado obscuro, trágico, o amor e a loucura da densa personagem Lucia na repaginada versão Lucia di Lammermoor – As Bodas de Sangue. Não à toa, o espetáculo será apresentado no mês de Halloween.

A ópera estará em cartaz nos dias 20, 21, 22 e 23 de outubro (quinta, sexta, sábado e domingo), sempre às 19h, na sala Plínio Marcos do Complexo Cultural Funarte (Eixo Monumental).

Um ambiente sombrio, com poucas luzes. O cenário, um hospício. Fumaças. Para dar ainda um colorido rebuscado a ópera, uma orquestra de 18 músicos regida pelo maestro Felipe Ayala. É neste clima que será retratado o amor impossível de Lucia di Lammermoor e Edgardo de Ravenswood, ambos de famílias inimigas.

A história original se passa na Escócia e é baseada no romance “The Bride of Lammermoor” (A Noiva de Lammermoor), do escocês Walter Scott.

A ópera vai revelar, em três atos, as brigas entre as famílias de Lucia e Edgardo, enamorados que fazem de tudo para ficar juntos. A loucura da protagonista mediante este amor impossível será bem ambientada no cenário de um hospício, com macas e os tradicionais e invasivos métodos psiquiátricos que procuravam tratar supostos distúrbios.

Entre amor, ódio e alucinações, terá ainda uma conclusão inédita criada pelo diretor Jean Nardoto. “Escrevi um novo final. Mas quero reviver e manter o clássico com a densidade do século 19. Afinal, várias remontagens o tornaram mais leve. Vou preservar o trágico e estender a loucura de Lucia. Mas não será um terror, é uma história de suspense”, explica Nardoto.

Para embalar o romance proibido, o diretor vai valer-se também de figurinos chocantes. Uma alternância entre os trajes específicos de um hospício – camisas de força, jalecos brancos – e modernas roupas escocesas.

A ópera será ainda cantada em italiano e falada em português. A plateia poderá acompanhar a produção por meio de legendas no nosso idioma, recurso também para garantir a acessibilidade para o público deficiente auditivo.

“A ideia é aproximar a plateia. Embora seja um clássico que vai manter o trágico, procuramos trazer a linguagem de ópera para perto dos espectadores. E a brincadeira de mesclar o italiano e português vai acentuar a esquizofrenia de Lucia”, declara Jean.

Dando vida a Lucia, as atrizes Livia Bergo e Gabriela Ramos vão se revezar nos tablados. Na pele do protagonista Edgardo, o diretor Jean Nardoto vai compor o elenco, que contará com seis personagens. Todos, cantores e atores.

O espetáculo Lucia di Lammermoor – As Bodas de Sangue é uma realização da Secretaria de Cultura do Distrito Federal com patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura e Secretaria de Cultura do Distrito Federal. O evento contará também com duas apresentações gratuitas e fechadas para escolas da rede pública do DF.



Sobre Lucia di Lammermoor

Lucia di Lammermoor é uma ópera que se passa em três atos e que retrata o romance proibido de Lucia di Lammermoor e Edgardo de Ravenswood, no século 19. Por serem de famílias inimigas, estes fiéis apaixonados são proibidos de viver um grande amor.
Enrico, irmão da protagonista, e Arturo Bucklaw , seu noivo prometido, descobrem que Edgardo anda se encontrando às escondidas com Lucia. Inimigo mortal da família Ravenswood, Enrico di Lammermoor trava então uma busca atrás do amante da irmã.

Paralelamente, Lucia tem várias alucinações e conta a serviçal Alisa que viu o fantasma de uma menina assassinada por um possesso ancestral da família Ravenswood, a mesma de Edgardo. Alisa começa a ter um mau pressentimento e faz de tudo para manter Lucia afastada do moço.

Em uma missão política, Edgardo vai à França para tentar selar paz com o irmão da amada. Antes da viagem, no entanto, os apaixonados trocam alianças de compromisso.
Mas o destino dos amantes toma outro rumo. Lucia é enganada pelo irmão, que forja uma carta e a convence que Edgardo a esqueceu. Prometida a Arturo Bucklaw, Lucia se casa a contragosto. O amante, no entanto, chega ao seu casamento e rompe com Lucia. Entre loucuras, ódio, traições e alucinações, o romance acaba com um triste final.


Sobre o diretor Jean Nardoto

Natural de Brasília, Jean Nardoto formou-se em canto pela UnB e é mestre em performance vocal pela University of Wyoming, universidade famosa no estado de Wyoming, nos Estados Unidos. O artista brasiliense foi o primeiro brasileiro a ganhar bolsa para doutorado em audição eletrônica nos últimos 100 anos na University of Illinois, uma das cinco melhores dos EUA. Por lá, ele estreou no mundo da ópera com La Traviata, de Giuseppe Verdi. Jean conta ainda com um vasto currículo por se apresentar em várias óperas e espetáculos pelo Brasil e pelo mundo afora. O artista multifacetado, de 37 anos, desde os quatro anos tem trilhado um caminho artístico rico e diversificado. Hoje, além de cantar, Nardoto leciona, coreografa, canta, atua e dirige vários espetáculos, além de abrir porta para artistas de sua casa, Brasília.


Sobre o Ópera Jovem

O projeto Ópera Jovem, criado por Jean Nardoto, nasceu da necessidade de reinvenção do gênero operístico para que o mesmo acompanhasse o mundo moderno. Elenco jovem, conceitos jovens, e uma linguagem que atrai os já tradicionais e os novos amantes da ópera. Apesar de jamais descartar a validade do teatro de época, o projeto Ópera Jovem procura o contexto mais adequado à essência da narrativa e a identificação do público. Por isto, muitas das produções são relacionadas a tempos e lugares diferentes, mais contemporâneos e acessíveis à compreensão da plateia. Não à toa, os recitativos cantados são trocados por textos.

Elenco:

Lucia – Livia Bergo / Gabriela Ramos

Edgardo – Jean Nardoto
Enrico – Hermógenes Correia
Raimondo – Daniel Bastos
Alisa – Caroline Araujo
Arturo – Daniel Menezes

Serviço:

Lucia di Lammermoor – As Bodas de Sangue
Dias 20, 21, 22 e 23 de outubro (quinta, sexta, sábado e domingo), no Teatro Plínio Marcos – Complexo Cultural Funarte (Eixo Monumental)
Horário: 19h
Ingressos: R$ 10 (meia-entrada)
Telefone para informações: 3322-2076 / 98658-4485

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Os segredos do livro mais antigo das Américas

Descoberto por saqueadores há mais de 50 anos, vendido a um colecionador, esquecido num museu e agora revelado, livro mais antigo das Américas conta a história de uma civilização


Numa caverna perdida em Chiapas, sul do México, um bando de saqueadores encontrou um velho livro sagrado maia. As páginas mostravam descrições do movimento do planeta Vênus, delineadas ao lado de cenas de violência ancestrais, incluindo mutilações, torturas, sacrifícios e assassinatos. Para os ladrões de tesouros, aquela era uma promessa de dinheiro fácil. Era 1964 e eles contataram um colecionador mexicano. Conforme o próprio relatou, colocaram-no num avião cuja bússola estava tapada por um pedaço de pano. No destino, em algum lugar do interior do país, havia sido escondida a relíquia. Realizada a venda, a descoberta foi mantida em segredo até 1971. Naquele ano, foi exposta num clube nova-iorquino de bibliófilos e apressadamente considerada falsa por especialistas, dadas as circunstâncias como foi achada. Em decorrência disso, permaneceu décadas nos porões de um museu da Cidade do México, abandonada e desacreditada. Em setembro, porém, a história foi concluída de maneira surpreendente após a publicação de uma pesquisa feita pelas Universidades de Brown, Califórnia e Yale publicada no periódico científico “Maya Archeology”. A equipe constatou que o manuscrito não apenas é verdadeiro, como se trata do mais antigo livro das Américas. “É a escritura mais velha que sobreviveu no continente”, disse à ISTOÉ o arqueólogo e antropólogo Stephen Houston, da Universidade de Brown. “Data do século 11 ou 12 d.C., centenas de anos anterior a outras semelhantes.”


O livro mais antigo das Américas dá acesso a uma parte da cultura maia até então desconhecida, a do cotidiano das pessoas comuns. O manuscrito fazia profecias do dia a dia, mais ou menos como um horóscopo moderno, sendo usado por sacerdotes que lidavam diretamente com a população mais pobre. Mostrava ainda deuses que cuidavam de preocupações cotidianas, como o sol, a morte e os relâmpagos. Essas divindades estavam associadas aos movimentos de Vênus e por isso aquela civilização fez um calendário para o planeta, que eles pensavam ser uma estrela. O documento também desvela várias formas de atrocidades cometidas contra seres humanos, que eram atravessados por lanças, pendurados por cordas e atingidos por pedras nas mãos de deuses enfurecidos. A mensagem é que os dias de Vênus eram malevolentes.

Ruínas de templo maia em Palenque no México, na mesma região onde o manuscrito foi descoberto


TESTE DE VERACIDADE


O Códex de Grolier, batizado em função do nome do clube de bibliófilos onde foi exibido, não se parece em nada com outros três livros maias conhecidos, os códices de Dresden, Madri e Paris, assim chamados por conta do local onde estão expostos. Estes eram produtos luxuosos da nobreza, enquanto o de Grolier possui traços grosseiros, decorrentes da sua relação com as classes baixas. Os cientistas confirmaram sua veracidade por meio de diferentes métodos: a origem do manuscrito, sua iconografia, os significados das tabelas, o modo como o papel foi feito e a datação por carbono-14. Dois indícios são especialmente convincentes. O primeiro é o teste que comprova a idade do documento, entre 800 e 900 anos. O segundo é o fato de o livro conter elementos que ainda não eram conhecidos nos anos 1960, como deuses que só foram descobertos recentemente. Seria impossível para falsificadores adivinhar isso.

Os arqueólogos esperam que sua pesquisa derrube a barreira que impediu que o Códex de Grolier ganhasse o mundo. A decisão está nas mãos do museu mexicano que é dono do manuscrito. Caberá à instituição desengavetar o documento mais antigo das Américas. Afinal, “é um milagre que o livro tenha chegado aos dias de hoje”, afirma Houston.


Fonte: Istoe

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Designer cria versões do McLanche Feliz baseados em filmes e séries de terror

"Contos do Dia das Bruxas" e "Os Fantasmas se Divertem" também entraram na brincadeira


Quem não gostaria que o McDonald’s lançasse uma versão do seu famoso McLanche Feliz especialmente para o Halloween?

Foi pensando nisso que o designer e fã de horror Newton Clements imaginou como seriam brindes temáticos para o McLanche Feliz se eles fossem inspirados em filmes e séries de terror.

Em sua lista de criação, há desde clássicos como O Silêncio dos Inocentes, Os Pássaros, Psicose e O Iluminado até nomes mais recentes como Stranger Things, Invocação do Mal e a nova temporada de American Horror Story. 

Confira a série McLanche Feliz especial Halloween abaixo:

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

TOP 10: Contos assustadores sobre palhaços


Palhaços assustadores estão sendo vistos nos últimos dias tocando o terror em vários países ao redor do mundo, inclusive no Brasil também está tendo muitos relatos sinistros de avistamentos.

Pensando nisso reunimos abaixo 10 contos de terror envolvendo essas sinistras criaturas:


terça-feira, 11 de outubro de 2016

Especial Dia das Crianças: Artista transforma personagens dos desenhos da sua infância em monstros


Você já imaginou se os personagens que marcaram sua infância fossem monstros? O designer e tatuador sueco Dennis Carlsson imaginou a cena.

Ele redesenhou alguns dos personagens mais fofinhos do imaginário infantil como se eles fossem protagonistas de verdadeiros filmes de terror.


Confira como eles ficaram:


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

A sexta temporada de American Horror Story e o mistério da colônia perdida de Roanoke


Já postamos aqui sobre uma das mais fascinantes ações de marketing já feitas para a divulgação de um seriado, onde o teaser verdadeiro ficou escondido no meio de um monte de teasers falsos que foram criados para iludir os telespectadores, o tema verdadeiro só foi descoberto quando o seriado começou.

Abaixo você confere os teasers feitos:


E abaixo o teaser verdadeiro que estava escondido lá no meio:




“American Horror Story: Roanoke”, abordará o mistério da colônia perdida de Roanoke através de um formato documentarístico totalmente inovador para a série. Mas do que realmente se trata esse mistério?

Primeiramente, vamos voltar um pouco no tempo. Há aproximadamente meio milênio atrás, em 1585, uma das primeiras colônias do Novo Mundo (que hoje conhecemos como Estados Unidos) fora fundada pelo explorador inglês Sir Walter Raleigh e recebera o nome de “A Ilha de Roanoke”. Os primeiros colonizadores de Roanoke não foram muito afortunados, tendo recebido diversos ataques de nativos locais e sofrido pela escassez de suprimentos em 1586, resultando em seu retorno para a Inglaterra. No ano seguinte, em 1587, Raleigh enviara um novo grupo de 100 colonizadores junto de seu novo governador, John White.

Nesse mesmo ano, a filha do governador White, Ellinor Dare, deu à luz o primeiro bebê a nascer em solo americano, Virginia Dare. Por conta disso, o governador embarcou em uma viagem de volta para a Inglaterra com o objetivo de espalhar a grande notícia e abastecer-se de novos suprimentos para a colônia. Infelizmente, White não contava com a guerra que tomava conta das terras inglesas, e que seu país precisava de todos os navios possíveis para poder combater a Espanha.

Devido a guerra, o governador permaneceu na Inglaterra durante 3 anos, retornando para Roanoke somente em 1590. Para a sua surpresa, ao chegar lá, ele se deparou com o local totalmente deserto, sem nenhum traço dos 100 colonizadores que ele deixara para trás 3 anos antes e nem sinais de invasão ou batalhas. Os abrigos e casas não existiam mais, e tudo o que sobrara da colônia foi o alto cercado que envolvia o perímetro de onde Roanoke erguia-se. Em um dos postes da cerca, foi encontrado nele cravado a palavra CROATOAN. Também fora encontrado, cravado em uma árvore das redondezas, a palavra “CRO“.


Originalmente, antes de o governador White partir em sua viagem, ele instruiu os colonizadores a desenhar uma Cruz de Malta em alguma árvore das proximidades caso a colônia tivesse que partir à força. Porém, a Cruz não foi encontrada em nenhum lugar.

Existem muitas teorias que tentam explicar o motivos de a Colônia de Roanoke ter desaparecido tão inexplicavelmente. Algumas teorias mais comentadas são:

“Toda a população morreu devido a uma doença“, o que não faz sentido, pois não foram encontrados corpos no local onde costumava existir a colônia.

“A colônia foi dizimada por fenômenos naturais, tais como tempestades e furacões”, que poderia fazer sentido se não fosse pelo fato de as cercas ainda estarem de pé quando o governador voltara para a colônia em 1590.

“O povo de Roanoke decidiu sair da colônia para viverem com os índios nativos da região”. Essa é uma das teorias mais viáveis, sendo possível que os colonizadores tenham decidido migrar para outra região. “Croatoan”, a palavra que fora cravada na cerca do perímetro da colônia, também era o nome de uma ilha daquela área, e também o nome dos habitantes nativos dela. Não existem grandes evidências para provar essa teoria, como também não há muitas para desmenti-la.

“Os colonizadores foram assassinados pelos nativos da região”. Essa é uma das teorias mais prováveis de ser real. Um fato importante sustenta essa teoria. É sabido que os Ingleses já haviam tentado construir a colônia de Roanoke antes. Um número de 15 pessoas vivia lá. Pouco mais de 1 ano se passara até que os exploradores ingleses voltaram à colônia para checar seu progresso. O que eles encontraram foi o cadáver de um dos habitantes, e foi confirmado ter sido trabalho dos nativos. Com isso, é possível afirmar que os nativos eram realmente capazes de tal atrocidade e também capazes de esconder os corpos. Como a colônia de Roanoke foi “abandonada” por seu líder por um período de 3 anos, é compreensível acreditar que os nativos tiveram tempo o suficiente para dizimar a colônia e desmontar suas construções.

A verdade é que o que aconteceu com a colônia de Roanoke ainda não se sabe. Porém uma coisa é fato, a sexta temporada de American Horror Story estará repleta de mistérios intrigantes..


sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Em ano eleitoral temas políticos são usados em decorações de Halloween nos EUA

Muro proposto pelo candidato Trump na fronteira com o México virou tema de decoração na cidade de Connecticut 


Algumas decorações de Halloween nos EUA estão deixando os fantasmas e duendes de lado esse ano para se concentrarem em acontecimentos recentes, influenciados pelo clima eleitoral acirrado os moradores prepararam decorações pra lá de diferentes, mas sem deixar o terror de lado.

LaRethia Haddon, residente de Detroit, esse ano decidiu se concentrar em acontecimentos atuais, por sugestão de seus netos.

As decorações de Halloween do quintal na frente da casa de Haddon agora incluem um boneco encenando um cientista inspecionando a água contaminada com chumbo em Flint , um ataque terrorista com uma bomba em uma mochila abandonada, uma mãe embalando seu filho morto vítima de roubo de carro e uma vítima baleada com as mãos ao alto.

"Eu estava indo para fora colocar um monstro no quintal e as crianças disseram que não possuem medo de monstros mais", disse Haddon ao canal ABC News. "Eles disseram, 'Nós estamos com medo de sair de casa, porque podemos ser sequestrados, levar um tiro, com medo de predadores sexuais, com medo de beber a nossa água por causa da contaminação."

Ela acrescentou: "Isso é de apertar meu coração."

LaRethia Haddon, de 56 anos, tem decorado o quintal de sua casa em Detroit com cenas que retratam horrores da vida real, como a contaminação da água por chumbo.


O mais velho dos 10 netos de Haddon ajudou a criar as decorações do Halloween. Ela falou que ele lhe disse "obrigado" quando viu o resultado final, assim como as dezenas de pessoas que passam por sua casa dizem diariamente.

"As pessoas ficam paradas de pé olhando e chorando e é tocante porque elas são todas as coisas que estão indo embora do mundo", disse ela. "A mensagem é que temos de começar a trabalhar juntos e parar de odiar uns aos outros."

Milhares de milhas de distância, em Connecticut, Matt Warshauer optou por se concentrar a sua exibição Halloween na própria eleição.

Warshauer, professor de história política na Central Connecticut State University, construiu um muro no jardim de sua casa em para replicar o muro proposto por Donald Trump entre os EUA e o México.

"A cada ano eu faço um tema político ou histórico e este ano foi de uma coisa totalmente sem sentido', Warshauer, pai de três filhos, disse à ABC News. "Como você pode ignorar o 'Muro da Vergonha de Trump?' "

O cenário feito por Warshauer apresenta esqueletos em torno do muro segurando cartazes com os dizeres "eu não sou um criminoso ", e "Nós somos todos os imigrantes", em resposta a declarações feitas sobre os imigrantes por Trump.

O cenário também possui Hillary Clinton em vermelho, branco e azul montada em um burro (símbolo do partido Democratas) usando rédeas feitos de cadeias, e Bernie Sanders preso pelo Comitê Nacional Democrata .

"Meu objetivo é levar as pessoas a pensarem", disse Warshauer. "Eu sou professor. Eu sou um historiador. "

Ele acrescentou: "Quero que as pessoas olhem para a história e eu quero que as pessoas vejam a nossa política de uma forma consciente. Eu não estou pedindo para que as pessoas pensem o que eu penso, mas eu estou pedindo que as pessoas pensem. Esse é o meu objetivo. "

As eleições nos EUA ocorrem no dia 08 de novembro.


Confira a reportagem do canal ABC News: