Clube Brasileiro de Trens Fantasmas: Março 2015

terça-feira, 31 de março de 2015

Pegadinha do Silvio Santos coloca zumbis no metrô de Fortaleza



Neste domingo (29), o "Programa Silvio Santos" estreou a sua temporada 2015, após as férias do apresentador.

A atração contou com novo cenário e exibição em alta definição (HD), além de outras novidades. Uma delas foi uma "Câmera Escondida" inédita. Desta vez, a superprodução colocou zumbis invadindo o metrô, o que é a primeira pegadinha do gênero em todo o mundo.

Para a gravação, foram chamados 70 figurantes, que demoraram cerca de 10 horas para serem caracterizados como zumbis.

As gravações aconteceram durante dois dias, sempre à noite, nos metrôs de Fortaleza, no Ceará.


Confira:

segunda-feira, 30 de março de 2015

Que tal uma coleção de bonecas macabras no seu quarto?


A Mezco Toyz é uma loja de brinquedos muito famosa internacionalmente e possui uma linha dedicada ao terror chamada "Living Dead Dolls", várias vezes ao ano lançam coleções de bonecas macabras com temáticas diversas, já fizeram coleções inspiradas em filmes de terror clássicos, em filmes de terror recentes, em lendas do folclore de diversos países e agora na vigésima nona série de bonecas sinistras apresentam bonecas assombradas que não são nomeadas e são totalmente inspiradas em lendas urbanas, a coleção deve chegar em maio, porém já está em pré-venda nos Estados Unidos.

A The Living Dead Dolls Series 29: The Nameless Ones vem com 5 bonecas caracterizadas como criaturas maléficas nunca avistadas diretamente, sempre vistas por algum amigo de alguém ou um conhecido do outro. Cada boneca mede aproximadamente 27 cm de altura e vem embalada num caixão individual.

A coleção completa The Living Dead Dolls Series 29: The Nameless Ones custa US$149 na pré-venda da Mezco Store.

Confira algumas fotos:

sexta-feira, 27 de março de 2015

Por dentro do Circo dos Horrores



Neste dia 27 de março é celebrado o Dia do Circo, o que te lembra essa data? malabaristas, palhaços, animais?

As atrações dos circos não foram sempre animais treinados, malabaristas e palhaços. No fim do século 19 e início do século 20, anomalias humanas foram destaques nos shows, que ficaram conhecidos como “Circo de Horrores” (em inglês: “freak shows”). Esses circos eram muito populares nos EUA, com elencos que incluíam anões, albinos e qualquer tipo de pessoa que fosse deformada por doenças.

O norte-americano Phineas Barnum é considerado o pioneiro do ramo. Ele começou fazendo caravanas de animais adestrados e apresentações falsas e, em 1881, fundou seu circo com James Bailey e L. James Hutchinson, chamado Barnum & Bailey’s.

O Barnum & Bailey’s era uma espécie de Cirque du Soleil do século 19, com uma diferença importante: no lugar de animais, curiosidades humanas eram apresentadas. Pessoas pagavam para sentar-se sob a lona e ver, ao vivo e em cores, aquelas que eram consideradas “aberrações da natureza”. O circo tornou-se o maior do mundo.

Phineas Barnum é considerado o pioneiro do ramo

Essas pessoas com deformidades eram abandonadas ao nascer devido a suas condições. Por isso, as apresentações nos circos acabavam sendo sua única fonte de renda e de sobrevivência. Como ainda não havia o conceito de direitos humanos, os espetáculos mostravam cenas horrendas que, de tão curiosas, chamavam a atenção.

O declínio da exibição do circo começou com o avanço da medicina e também com as mudanças na cultura popular e do entretenimento. As anomalias foram explicadas como doenças ou mutações genéticas e, então, a sociedade começou a ver essas pessoas como iguais, e não bichos. Além disso, foi proibida a exibição dessas pessoas em shows que tivessem fins lucrativos.

Dentre os mil artistas que fizeram parte do elenco (um número incrível para os padrões daquele século), estavam entre os mais famosos a mulher barbada e o menor homem do mundo. Relembre algumas das mais célebres atrações:


O Homem Cachorro

Você sabe o nome da doença que provoca crescimento excessivo de pelos no rosto? Hoje a conhecemos: é chamada hipertricose. Extremamente rara nos dias atuais, imagine naquela época! Fiodor Jeftichew, ao lado, era trilíngue, mas foi apresentado ao público como uma besta. Latia para assustar a plateia, enquanto Barnum narrava a história de como Fiodor havia sido capturado por um caçador que seguiu sua família de homens-cães até uma caverna.


A Família Lucasie

Sim. Albinos já foram considerados aberrações humanas. Estranho imaginar, né? Hoje em dia, existem até páginas no Facebook venerando a beleza dos albinos, mas, naquela época, eles eram vistos como pessoas extremamente bizarras. Os Lucasie nasceram na Holanda, mas no script do show de horrores, eram apresentados como sendo de Madagascar. Além disso, também era dito que tinham “olhos quadrados” e que dormiam de olhos abertos.


O Homem Coruja

Talvez esta seja a mais curiosa “bizarrice”, mesmo para os padrões atuais. Martin Laurello alegou ter treinado por três anos até conseguir o feito de girar sua cabeça 180º – e o cara realmente conseguia! Andar nessa posição, no entanto, era difícil, pois lhe faltava ar. A foto ao lado foi feita pela revista Life em 1940.


A Mulher Barbada

Essa talvez seja a mais famosa da lista. Annie Jones Elliot já possuía uma barba aparente desde os nove meses de idade. Barnum levou-a em turnê após a condição imposta pelos pais de que a mãe a acompanhasse. Após sair do Barnum & Bailey’s, Annie realizou uma turnê pela Europa onde se apresentou inclusive ao Czar russo e outras famílias reais. Quando retornou ao circo de Barnum, passou a ganhar US$ 500 (mais que o próprio presidente dos EUA).


As Irmãs Siamesas

Daisy e Violet foram as mais bem-sucedidas irmãs siamesas do freak show. Unidas no quadril e nas nádegas, compartilhavam apenas a circulação sanguínea. Eram gêmeas pygopagus: idênticas que se fundiram pela pélvis no útero. Adotadas aos dois meses pela patroa da mãe, foram logo levadas ao Circo de Horrores e cresceram apresentando-se. Violet e Daisy participaram de alguns filmes e lutaram a vida inteira contra o preconceito devido à sua “anormalidade”. Seus corpos foram encontrados em 1969; padeceram da Gripe de Hong Kong, que matou um milhão de pessoas na época. Daisy morreu primeiro e Violet, 3 dias depois.


O Garoto Lagosta

Grady Franklin Stiles Jr. não possuía os dedos centrais das mãos e dos pés, e por isso estes se assemelhavam a garras de lagosta. O nome da deformidade é ectrodactilia e Grady foi o sexto de sua família a apresentá-la, evidenciando seu caráter hereditário. Apesar da deformidade, Grady teve uma vida normal: casou-se duas vezes e gerou quatro filhos, sendo que dois nasceram com ectrodactilia. Mas era alcoólatra e abusivo. Foi condenado a 15 anos de regime aberto (a cadeia não o aceitou já que não estava preparada para receber alguém em suas condições) após atirar na cabeça do namorado da filha, pois havia reprovado o casamento destes e a filha o enfrentou. Foi morto por um funcionário de um circo onde trabalhava sob as ordens de sua segunda esposa.


O Jogador de Futebol de 3 Pernas

Francesco A. “Frank” Lentini nasceu com 3 pernas e 2 órgãos sexuais na ilha de Sicília, Itália. Seus pais o rejeitaram acreditando que era uma obra do tinhoso. Nos dias atuais, sabe-se que Frank possuía a condição conhecida como gêmeo parasita. Ou seja, o feto de seu irmão gêmeo alojou-se na coluna, por isso tentar removê-lo poderia paralisar o garoto. Aprendeu a andar, patinar no gelo e pular corda. Aos oito anos, entrou para o show business. Sua terceira perna era usada para chutar uma bola, daí o nome artístico que recebeu.


A Mulher Mais Feia do Mundo

Mary Ann Webster começou a apresentar acromegalia, um gigantismo progressivo que provoca distorção óssea facial, logo após o casamento. Além disso, também sofria de dores de cabeça, dores musculares e notou a perda da acuidade visual. Apesar de tudo, teve quatro filhos e permaneceu com o marido até sua própria morte.


O Homem Elefante

Por muito tempo, acreditou-se que Joseph Merrick possuía elefantíase. O crescimento anormal de seus ossos teve início aos cinco anos de idade, quando começou a apresentar-se no Barnum & Bailey’s. Sua doença não o permitia dormir deitado, apenas sentado, pois poderia morrer sufocado – e foi o que aconteceu quando Merrick tinha 27 anos. O que ele possuía era Síndrome de Proteus, condição extremamente rara que provoca crescimento exagerado de tumores subcutâneos pelo corpo.


quinta-feira, 26 de março de 2015

Criança teria sido empurrada por assombração no País de Gales



Você acredita em espírito? 

Gareth Hood, de 35 anos, estava brincando com sua filhinha de um ano, Lexi, e sua esposa Charlene, de 31 anos, na sala de TV de sua casa em Bridgend, no País de Gales. Enquanto gravava tudo com seu celular, algo sinistro ocorreu: a menina foi supostamente empurrada e levada ao chão, subitamente, por uma força invisível e misteriosa.

O pai de família disse que sua filha, que ele descreve como “boa de equilíbrio”, disse as palavras “menino mau” depois da queda, como se estivesse dizendo isso a alguém. Ele acrescentou que o mesmo som rangente que ele e sua mulher ouviram no momento em que sua filha caiu no chão podem ser ouvidos em casa a qualquer momento, desde então.

O vídeo, gravado enquanto a família assistia a um filme e brincava, há três semanas, mostra Lexi em pé na frente da TV com as mãos tapando os olhos. Rindo, ela espia seu pai antes de cair no chão repentinamente – com seus braços para o lado, como se estivesse sendo puxada ou empurrada.

Apesar do susto, a criança parece não se incomodar e continua a brincar alegremente no chão. Hood disse: “Lexi é muito boa de equilíbrio, é muito confiante na hora de andar e é um bebê engraçado e feliz. Estávamos assistindo TV, olhando diretamente para ela, e não havia nenhuma maneira de que ela pudesse cair daquela forma sozinha.”

“Nós estávamos filmando nossa filha para guardarmos uma lembrança bonita dessa fase, porque ela cobria os olhos e pensava que nós não conseguíamos vê-la enquanto ela mantinha seus olhos cobertos. Isso era tão engraçado e adorável para mim e Charlene”, disse. “E não mais do que de repente, no meio da brincadeira, aquilo aconteceu. E então, ela disse: ‘menino mau’. Ela costuma dizer isso quando o gato a arranha ou algo assim.”

Hood, que tem outros dois filhos, disse que toda a família se assustou quando Lexi caiu. Ele disse: “Ficamos todos um pouco apavorados. Agora estamos ouvindo barulhos à noite de madeira rangendo e estalando, que antes não ouvíamos. É um pouco assustador, mas acreditamos que isso tudo vá passar.”


Confira o vídeo:

quarta-feira, 25 de março de 2015

Game de terror promete assombrar celulares dos jogadores



O estúdio Vyretrux Games está desenvolvendo um novo jogo de terror que promete assustar os seus jogadores até quando não estão jogando. Intitulado 1214, o título irá utilizar os celulares como forma de interação com os jogadores e como peças essenciais para a resolução de alguns dos puzzles.

Para todos os que pensam que a interação com o celular só acontecerá enquanto estão jogando, então preparem-se para uma surpresa. O Vyretrux Games promete que os fantasmas de 1214 continuarão a assombrar os jogadores através do celular mesmo quando saírem do PC. Isto quer dizer que a qualquer momento poderão receber chamadas estranhas e serem atormentados por outras atividades fora do comum. O estúdio quer proporcionar aos jogadores uma experiência assustadora que seja constante e psicológica, e que permaneça com eles mesmo quando pararem de jogar.

O estúdio disponibilizou o primeiro trailer de 1214, ainda na fase de testes, que demonstra algumas das reações do celular ao longo do jogo e como será utilizado para a resolução de puzzles.



Confira:

terça-feira, 24 de março de 2015

Terror "Deixa Ela Entrar" vai virar série de TV



Boa notícia para os fãs de terror, um dos melhores filmes de vampiro já feito irá virar seriado.

Segundo o site The Hollywood Reporter, o terror sueco Deixa Ela Entrar (2008) será adaptado em uma série de televisão para a emissora A&E. Jeff Davis, produtor das séries Criminal Minds e Teen Wolf, e Brandon Boyce, roteirista de O Aprendiz (1998), serão responsáveis pela história.

Deixa Ela Entrar foi dirigido por Tomas Alfredson (O Espião Que Sabia Demais) e acompanha o garoto Oskar (Kåre Hedebrant), que sofre bullying e se apaixona por uma jovem e bela vampira (Lina Leandersson).

O longa é baseado no livro de John Ajvide Lindqvist (que também escreveu o roteiro) e ganhou uma refilmagem norte-americana intitulada Deixe-me Entrar (2010). Matt Reeves (Planeta dos Macacos: O Confronto) dirigiu Kodi Smit-McPhee (A Estrada) e Chloë Grace Moretz (Kick-Ass: Quebrando Tudo) nos papéis principais do remake, mas o desempenho nas bilheterias não foi bom.

A&E obteve sucesso com as séries Bates Motel e The Returned e quer competir com outras produções de terror como Penny Dreadful, da emissora Showtime. A adaptação de Deixa Ela Entrar não tem data para começar a ser rodada.



Confira abaixo o trailer do filme sueco de 2008 e do seu remake americano feito em 2010:

Trailer "Deixa Ela Entrar" (2008)



Trailer "Deixe-me Entrar" (2010)

segunda-feira, 23 de março de 2015

Qual monstro clássico de terror é você?



Drácula, Lobisomem, Múmia, Frankenstein..com que clássico do terror você tem mais semelhanças?

A PandemicQuiz criou um divertido teste de personalidade que vai te ajudar a se descobrir, muahauahaua

Para fazer o teste clique aqui

sexta-feira, 20 de março de 2015

As rainhas do grito estão chegando..



Está chegando um novo seriado de terror americano, Scream Queens promete causar muitos gritos no segundo semestre de 2015. O título da série significa “rainhas do grito”, alcunha pela qual Jamie Lee Curtis ficou conhecida depois de estrelar a franquia de terror “Halloween” nos anos 1970. 

A 1ª temporada terá 15 episódios e acompanhará uma série de assassinatos em um campus universitário. Novas configurações e histórias serão apresentadas nas temporadas subsequentes, seguindo o formato de antologia anual de “American Horror Story”.

A produção ocupará o lugar de “Glee”, que se encerra em março no canal Fox, com uma estreia no outono (entre setembro e novembro) nos EUA. O elenco conta com Jamie Lee Curtis, Emma Roberts, Nick Jonas, Keke Palmer, Lea Michele, Nasim Pedrad, Ariana Grande, Abigail Breslin e Oliver Hudson.


Confira os três teasers que já foram divulgados:





quinta-feira, 19 de março de 2015

Fantasma aparece em rio da Austrália 100 anos após morte de menina no local

Local onde assombração teria aparecido


Uma australiana postou uma foto de sua família durante um passeio em Murphy’s Hole, Rio Lockyer, Queenslande, dizendo que havia uma criança a mais da água, eu que essa pessoa a mais na foto poderia ser um fantasma. Mas, o caso ficou ainda mais assustador depois que a família descobriu que uma menina de 13 anos morreu afogada no mesmo local em que a foto foi tirada, no ano de 1915. 

Segundo Kim Davison, a foto foi tirada em 2014 quando ela e uma amiga nadavam com três crianças. Porém, perceberam que havia uma menina muito branca de olhos negros no meio delas – que não estava realmente lá. Ainda de acordo com Kim e Jessie Lu, coisas estranhas teriam acontecido no dia do passeio: uma das meninas teria sentido seus pés sendo puxados por duas vezes e Jessie conta que sentiu que “algo a perseguia na água” por alguns momentos.

“Nesse dia, minha filha teve a sua perna puxada duas vezes por algo que estava na água,” conta ela. “Quando eu fui dar um último mergulho antes de ir embora, eu senti algo atrás de mim conforme eu ia saindo da água, mas decidi ignorar.”

A tal menina que morreu naquela parte do rio há quase 100 anos atrás se chamava Doreen O’Sullivan, e tinha 13 anos na época. Ela morreu afogada no dia 19 de Novembro de 1915 (no site do Terra a informação diz que a morte foi em 1913, mas se olharmos a inscrição do túmulo da menina, podemo ver que o falecimento se deu em 1915), e foi enterrada no dia seguinte.


As informações são do Daily Mail.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Slenderman Must Die: Dead Space


Dessa vez uma versão alienígena do Slenderman resolveu atacar uma estação espacial, proteja a estação dessa terrível criatura em mais uma divertida sequência de Slenderman Must Die.

Para jogar clique aqui

terça-feira, 17 de março de 2015

Saint Patrick's Day- A Lenda do Leprechaun


O Dia de São Patrício, também conhecido como Saint Patrick's Day é celebrado hoje (17 de março), a data reúne pessoas em todo mundo para comemorar a cultura irlandesa. A ação acontece no Brasil desde o ano passado, quando o Cristo Redentor foi iluminado de verde.

Você já ouviu falar da lenda do pote de ouro que existe no fim do arco íris? Então você também já foi encantado pela cultura irlandesa, mais precisamente pela lenda do Leprechaun. 

Os leprechauns são considerados guardiões ou conhecedores da localização de vários tesouros escondidos. Para obter tais tesouros (normalmente um pote de ouro) é preciso capturar um leprechaun e não o perder nunca de vista. Caso contrário, ele desaparece no ar. Como acontece com todos esses seres (encantados), é importante que você veja o leprechaun, ou duende irlandês, antes que ele o veja, pois ele se torna então mais cooperativo e talvez possa até levá-lo a um de seus potes de ouro escondido. Mas ele é muito astuto e traquina, capaz de desaparecer num piscar de olhos. Acredita-se que eles também tenham uma moeda de prata mágica, que volta a sua bolsa, depois de ser gasta.


O nome leprechaun é possivelmente originário do Gaélico luacharma'n, significando meio-corpo (no sentido de pequeno) ou leith brogan que significa sapateiro. Outra interpretação para a origem do termo seria a de que leprechaun vem de Luch-chromain, Gaélico para "pequeno Lugh corcunda"

O leprechaun é conhecido como um pequeno homem de roupas verdes, bigode, olhar simpático e um cachimbo na boca. Geralmente vivem em pequenos arbustos, em bosques ou florestas. São conhecidos por serem os sapateiros das fadas, e, diz-se que fazem só dois sapatos por ano. Os leprechauns não gostam de humanos e têm medo deles, mas quando se vem com boas intenções, eles dão-nos um par de sapatos. Os sapatos que eles fazem são muito bonitos e são feitos de materiais naturais, tais como, flores e gotas de orvalho. Além do seu cachimbo, estão sempre acompanhados pelo seu pequeno, velho e gasto martelo. O leprechaun é muito pequeno, medindo 30 a 50 cm de altura.

Os Irlandeses mantêm viva a lenda destes seres encantadores, é uma antiga tradição daquele país deixar na janela um sapato velho com três moedas dentro, e de tempos em tempos, mudam as moedas e os sapatos.
Os leprechauns ficam tão contentes com este gesto, que em troca trazem sorte e prosperidade para o lar. E quanto mais tempo este hábito dura, mais visitas eles fazem as pessoas que moram na casa.


Essa lenda inspirou um filme chamado Leprechaun que foi lançado em 1993, protagonizado por Jennifer Aniston o filme virou um clássico cult do terror, dando início a milhares de sequências. Recentemente saiu a nova continuação do filme, chamado Leprechaun: Origins e com o duende interpretado por Dylan Postl, um lutador profissional de WWE.

Confira o trailer:

segunda-feira, 16 de março de 2015

A Mulher que Temia a Chuva


Casas antigas...
Noites escuras...
Lugares sombrios...
Florestas...
Cemitérios...

Por que tudo precisa ser tão clichê?
Por que essas criaturas, seres das sombras, precisam desses lugares?
Porque eles precisam do nosso medo para surgir, pois o nosso medo cria a atmosfera ideal para que eles venham até nós. E em situações chave, ou clichês, o medo irradia de nós como ondas de rádio. E então eles vêm.

Depois do que vi, do que presenciei, comecei a buscar explicações. Acabei lendo notícias sobre cenas de crime, ataques terroristas e acidentes onde fotógrafos capturaram imagens ou vultos assustadores. Presenças macabras que seguiram o medo até aqueles lugares. Quanto maior a quantidade de medo, mais deles aparecem. Por isso não me surpreende que tantos deles tenham chegado à Manhattan naquele fatídico 11 de setembro, assim como não me surpreende que apenas um deles tenha chegado à casa de dona Rosália naquela noite tempestuosa de janeiro. E logo ela que tanto temia as chuvas.

Dona Rosália era minha vizinha desde que eu me entendo por gente no bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro. Sua casa era um sobrado antigo, mas muito bonito, no estilo que só é encontrado mesmo nesse bairro. Se você já esteve aqui, sabe bem do que estou falando.

Minha vizinha era uma viúva de 51 anos; ainda nova, é verdade, mas já enterrara três maridos pelo menos. Nós, quando crianças, a chamávamos de viúva negra, mesmo que mal soubéssemos o significado daquilo.

Ela, assim como minha mãe, morava com um único filho. Mas ao contrário de mim, que sempre estou em casa, já que trabalho como revisor de textos, Cleiton, seu filho, passava a maior parte do tempo na rua por causa da faculdade e do trabalho. Por isso, pra compensar a solidão, dona Rosália começou a alugar os quartos do sobrado. Era uma forma de fazer amigos (Pois lá se hospedavam pessoas de todo o mundo) e ter também uma renda extra. Era uma mulher batalhadora, forte, digna de admiração. Não temia bandidos, assim como baratas ou ratos. Seu único medo eram as tempestades. Seus três maridos haviam morrido durante tempestades.

O primeiro foi atingindo por um raio, ainda quando ela morava numa fazenda no interior do estado, quando tentava levar uma vaca de volta para o celeiro. O segundo, pai de Cleiton, a levou para o Rio de Janeiro e a deixou com uma situação de vida confortável ao morrer em um acidente no cento da cidade durante um forte temporal. O terceiro a levou para sua casa em Santa Teresa e era um primo de segundo grau de minha mãe. Foi o casamento mais longo e mais feliz dela. Ele trabalhava numa companhia elétrica e certo dia, durante uma tempestade, saiu para restabelecer a luz em um dos bairros e nunca mais voltou pra casa.

Naquele janeiro, porém, não houve mortes. A tempestade nada levou, apenas trouxe.

Eu o vi saltar do bonde da minha janela. Era um sujeito estranho, de barba lisa e branca como os seus cabelos. Suas sobrancelhas eram grossas e negras. A despeito disso, não me parecia ser muito velho. Usava roupas negras, longas, e tentava se proteger da chuva sob um chapéu ordinário. Na mão, nada além de uma valise. Reparei que ele conversava sozinho, nada muito anormal. Estou acostumado a pessoas estranhas, dada a grande quantidade desses tipos aqui no bairro.

Como eu esperava, ele se dirigiu a casa de dona Rosália. Conversaram à porta por alguns minutos e então ele entrou. Mais um hóspede.

Pouco soubemos sobre Pazú, o hóspede, nos dias que se seguiram. Eu o via raramente, mas nas poucas vezes eu sentia algo sinistro nele. Algo estranho na forma como fumava e conversava com algum ser imaginário. Dona Rosália disse que ele passeava pelo país, conhecendo e fotografando lugares. Pagara para ficar hospedado por um mês, mas disse que se gostasse ficaria por mais tempo. Ela não se importou, afinal, em sua casa as pessoas vêm e vão e ninguém nunca pergunta nada. Como em um hotel. Você conhece pessoas, mas não cria laços. Uma vez me apaixonei por uma hóspede da minha vizinha, uma bela húngara. Pra mim foi intenso, pra ela foi casinho de verão; nunca mais nos vimos. Meu primeiro e frustrado amor.

Bem, no bairro, tudo continuava a mesma coisa. Nada alterava nossa rotina de bairro turístico. Pelo menos uma vez por semana eu ia até a editora onde eu trabalhava para entregar o material revisado e pegar a nova leva. Trabalhar em casa tinha suas vantagens, mas eu sempre tinha tanto o que fazer que acabava ficando sem tempo para iniciar o meu romance. Na verdade, eu escrevia bem, mas nunca achei que pudesse ter inspiração para uma história. Até então.

Nesse dia em que desci até a zona sul, tudo parecia normal. Exceto pela volta pra casa, onde eu encontrei Pazú. Poderia ter sido um encontro casual, mas eu resolvi segui-lo por alguma razão. Não entendi o porquê, mas em poucos minutos eu o vi adentrar o cemitério São João Baptista. Não fui adiante, pois fiquei com medo. Assumo, cemitérios me apavoram bastante. Por isso voltei pra casa; talvez ele estivesse apenas visitando algum conhecido enterrado ali.

Da minha janela, eu vi quando ele voltou. Ele me olhou rapidamente e acenou pra mim. Meio reticente, retribuí o aceno. Mas algo nele me assustou, não sei explicar o que. Não consegui parar de pensar nele antes de dormir.

Na manhã seguinte, encontrei dona Rosália conversando com minha mãe na cozinha. Parecia assustada. Quando perguntei o que havia acontecido, ela respondeu nervosa.

- Pazú.

- O que há com ele?

- Ontem a noite – ela disse – antes de me recolher, passei pela casa pra checar se as portas e as janelas estavam fechadas, como sempre faço. Quando passei pela porta do quarto de Pazú, ouvi uma conversa. Ele parecia rir com algumas pessoas ali dentro. Aquilo me enfureceu, pois, você sabe, tenho algumas regras no sobrado. E uma delas é que não permito visitantes após as dez da noite. Por segurança.

- Claro – concordei – a senhora está muito certa.

- Então bati na porta. A mulher que ria, logo se calou. Alguns segundos depois Pazú abriu a porta. “Pois não”, disse ele. Expliquei que na casa havia regras e como já havia passado das dez da noite, não gostaria que ele tivesse visitas no quarto. “Mas não há ninguém aqui”, falou ele abrindo a porta. O quarto estava vazio. Eu lhe disse que havia ouvido vozes, mas insistiu que estava sozinho e me convidou a inspecionar o quarto. Não havia ninguém lá, nada. A janela estava trancada por dentro, então não teria saída. Olhei sob a cama, dentro do armário e no banheiro. Nada, menino. Nada. O que eu podia fazer? Desculpei-me e saí do quarto. Assim que a porta se fechou, as mesmas pessoas voltaram a conversar. Mas não havia ninguém lá. Saí para checar os outros hóspedes. Todos estavam sós em seus quartos e eu os conheço bem o bastante pra saber que não levariam ninguém para dentro da minha casa sem minha autorização. Os barulhos vinham mesmo do quarto de Pazú.

- Você não falou nada com ele? – perguntou minha mãe, indignada. As duas eram muito amigas.

- Falar o que? Eu mesma chequei o quarto. Mas o pior foi hoje de manhã.

- O que houve? – eu perguntei.

- Fui preparar o café da manhã do Cleiton e ele me perguntou se havia hóspedes novos na casa. Respondi que não, lógico. Então ele me perguntou quem era a mulher e a criança que ele vira nos corredores quando ele chegou em casa ontem, por volta da meia-noite.

- Meu Deus, Rosália! – disse minha mãe, pálida – Eu estou toda arrepiada.

- Você não acha que...?

- Fantasmas, meu filho. Tem fantasmas na minha casa. E eles chegaram com o Pazú.

Depois daquilo, passei a ter mais medo da figura de Pazú. Achava que dona Rosália era muito corajosa por manter em sua casa pessoas das quais ela não conhecia a procedência. Proibi minha mãe de falar com aquele homem e pedi que ela convencesse dona Rosália a pedir que ele fosse embora. Mas minha vizinha já usara o dinheiro que ele pagara previamente, portanto, não poderia mandá-lo embora até o fim do mês.

À época do carnaval, as comemorações de rua aqui no bairro foram canceladas por causa das chuvas ininterruptas. A cidade mais abaixo estava um caos, que todos tentavam abafar por causa das festividades.

Num desses dias, Cleiton me convidou para dar uma volta com ele na Lapa. Não sou muito chegado a noitadas, menos ainda quando chove. Mas Cleiton raramente me convidava para sair e eu muito apreciava sua companhia por causa de sua inteligência. Fui encontrá-lo no sobrado às nove da noite, como combinado.

Já havia estado naquele lugar tantas vezes, nada era novo pra mim. Enquanto aguardava por ele, dona Rosália me serviu um chocolate quente. O que ela preparava era o melhor, sem dúvida.

- Pazú está em casa? – perguntei, pois não queria encontrá-lo.

- Não. Esteve fora o dia inteiro. Já conversamos e ele disse que não pretende ficar mais do que o combinado. Só mais uma semana e estarei livre dele.

- E os outros hóspedes?

- Todos na rua.

Cleiton desceu as escadas logo. Estava arrumado demais para ir a Lapa, eu disse, mas ele não deu a mínima. Quando dona Rosália nos levava à porta, ouvimos passos no andar de cima.

- Mãe – falou Cleiton, assustado – Você disse que estávamos sós em casa.

- E estamos.

- Então quem está correndo no andar de cima?

Cleiton pediu minha ajuda para investigar o sobrado e me passou uma lanterna. Admito que estava assustado demais, mesmo assim fui com ele por todos os lugares do sobrado. Ouvimos passos e risadas pela casa, mas não havia nem sinal de qualquer ser vivo ali dentro. Ser vivo.

O clima para sair já não existia mais e diante do pavor de dona Rosália, a levamos pra minha casa. Minha mãe tratou de acalmá-la contando suas piadas (Deus a abençoe) e logo dona Rosália estava refeita.

Cleiton, porém, parecia furioso. Trouxe-o ao meu quarto para uma conversa e ele se dizia irritado com o que estava acontecendo no sobrado desde a chegada de Pazú.

- Esse nome dele – ele falou – é o que mais me intriga. Pazú. Sabe o que me lembra? Pazuzu.

- O que é isso?

- O demônio da Mesopotâmia. Diz lenda que ele chegava com os ventos do verão, levando o flagelo aonde quer que ele fosse. Era conhecido como o agarrador, pois gostava de carregar espíritos junto a ele.

- Caramba, cara, Pazú já me dava medo antes de eu o associá-lo a essa história... Agora então... Eu o vi entrar no cemitério há alguns dias atrás.

- Mesmo? Onde?

- Em Botafogo.

- Tem alguma coisa muito errada com esse homem e hoje ele vai ter de me explicar o que é.

Cleiton sempre foi muito calmo. Era a primeira vez que eu o via tão irritado. E quando faltou energia, sua irritação pareceu aumentar ainda mais. Só disfarçou quando minha mãe subiu até meu quarto acompanhada de dona Rosália. Juntos, ficamos olhando a noite chuvosa e as ruas escuras. Lembram do que eu falei sobre o medo? Pois é, ele era quase palpável naquele momento.

Quando a chuva estiou, ouvimos barulhos na rua. Alguém se aproximava segurando uma vela. Pazú. Não posso dizer se foi efeito da luz da vela sobre ele, mas sei que quando ele chegou vi dezenas de vultos escuros ao seu redor. Me apavorei.

- Vocês ficam aqui – falou Cleiton – Vou ter uma conversinha com esse cara.

- Cleiton, não... Espere a luz voltar! – falou sua mãe.

Mas ele insistiu que ela ficasse. Vi quando ele atravessou a rua e adentrou o sobrado. Nada foi ouvido por vários minutos. Nada. Os dois então saíram do sobrado juntos, mas cada um seguiu um lado. Pazú seguiu a rua principal. Cleiton voltou a minha casa.

- E então? – perguntei.

- Eu disse que vamos fazer obra no sobrado e que seria melhor que ele procurasse outro lugar pra ir. Indiquei os albergues da rua principal e ele foi até lá checar se havia quartos disponíveis. Podemos ir pra casa.

Quando os dois atravessavam a rua, a energia voltou. Os dois acenaram pra nós sorrindo. Minha mãe fez uma piadinha qualquer que eu não consigo lembrar e Cleiton respondeu de volta, rindo bastante. Foi a última vez que o vimos vivo.

Fomos acordados por dona Rosália, pedindo por ajuda. Ela dizia que Cleiton não havia acordado para ir para a faculdade e não abrira a porta do quarto quando ela chamara. Fui até lá, com a adrenalina correndo nas minhas veias, e arrombei a porta.

Cleiton estava na cama, com uma expressão de pânico no rosto. Morto. Com lágrimas nos olhos, passei mão em seu rosto para amenizar suas feições. Quando sua mãe adentrou o quarto, era o desespero encarnado. Eu não podia assistir àquilo.

Enquanto minha mãe cuidava dela, eu cuidava de entrar em contato com a polícia e do enterro. Ataque cardíaco; um rapaz de apenas vinte e três anos. Quando nos preparávamos para ir ao cemitério, no dia seguinte, Pazú voltou pra casa. Ele apenas nos olhou, pois estávamos com dona Rosália, e entrou no sobrado.

- Esse homem... – murmurou minha mãe – O que ele ainda faz aqui?

- Não deve ter conseguido outro lugar pra ficar.

Enquanto dona Rosália chorava e Cleiton era enterrado, eu não conseguia parar de pensar que de alguma forma o encontro com Pazú aquela noite decretara a morte do meu vizinho.

Dona Rosália passou os dias que se seguiram ao enterro de seu filho nos evitando, mas nós ouvíamos discussões e gritos todas as noites no sobrado. Algo estava indo mal ali. Minha mãe pediu que eu interviesse e eu liguei pra polícia. Quando eles chegaram, eu trouxe a dona Rosália pra dormir conosco. Ela estava em um estado lastimável.

- Eu vi... – disse ela – meu filho naquela casa. Ele estava conversando com Pazú.

- Isso é impossível, Rosália – falou minha mãe – Cleiton se foi. Não está mais entre nós.

- Não em corpo, mas seu espírito está lá. Sabe o que eu descobri? Que ele, Pazú, é um colecionador. Ele coleciona fantasmas. Estão todos em seu quarto, aprisionados de alguma forma naquela valise. São eles que me acordam a noite, que fazem barulhos, que perturbam os cães, que conversam... Meus hóspedes, os mais antigos, foram embora hoje. Eles têm medo do que viram... E não os culpo. São homens, mulheres, crianças... Todos no meu sobrado, agarrados por Pazú.

- Você está perturbada com a morte do Cleiton, Rosália, é só isso.

- Não é. Ele coleciona fantasmas, me ouça. Eu sei disso – ela estava trêmula – A polícia o obrigou a sair e ele vai embora amanhã. Mas eu preciso ir até o quarto dele... Preciso destruir aquela valise e libertar os espíritos. Preciso libertar meu filho.

- Isso está errado, Rosália! Você não vai lá. Você vai dormir aqui e pronto.

- Não posso... Não posso...

Mesmo assim ela adormeceu. Minha mãe se recolheu algumas horas depois. Eu fiquei acordado boa parte da noite. A maior parte eu passei ouvindo gritos e risos que vinham do sobrado do outro lado da rua. Era assustador, mas não sei até que ponto eu poderia ou não acreditar no que dona Rosália disse. Aquela valise... Colecionador de fantasmas... Então dormi. E não vi minha vizinha voltar ao seu sobrado.

Quando minha mãe me avisou que dona Rosália estava morta, na manhã seguinte, eu corri até sua casa. O corpo dela estava sobre sua cama, dando a impressão de que morrera dormindo. Porém, as meias em seus pés estavam sujas de terra, como se por toda a noite ela estivesse andando pela casa ou pelo quintal. Não fora uma morte natural. Pelo menos não de todo.

Seu hóspede, Pazú, estava acabando de sair do quarto. Foi a primeira vez que eu o vi tão de perto e senti meu coração bater descompassado. Havia algo estranho em seu olhar. Uma certa melancolia, ou ódio... Nunca poderia dizer ao certo. Deixou a chave sobre a mesa da cozinha, com uma certa quantia de dinheiro, e carregava sua velha valise. A tal valise. Eu nunca saberia o que acontecera ali naquela noite entre minha vizinha e aquele estranho.

- Sabe que ela morreu, não é? – eu disse.

- É o destino de todos nós – respondeu com sua voz rouca.

- E você não viu nada?

- Como disse à sua mãe, a encontrei no chão da cozinha e a trouxe para o quarto.

- Você não teve nada a ver com isso?

Ele não se ofendeu como eu achei que faria. Pelo contrário, acendeu um cigarro preto e sorriu.

- Quisera eu que a morte tivesse um razão.

- E eu queria que você deixasse o espírito dela livre.

Ele me encarou e riu. Riu tanto que quase engasgou.

- Deixe-me ir, rapaz, já está chovendo outra vez e eu preciso de um novo lugar pra ir. A polícia me quer longe daqui.

Ele saiu do sobrado, deixando seus passos na lama. Então, apavorado, eu vi que outros passos eram deixados atrás deles. Muitos passos. Senti um frio percorrer meu corpo, pois ele não saía sozinho da casa. Cheguei até a soleira do portão e enquanto ele seguia a rua sob a chuva até o ponto do bonde, pude ver as pegadas nas poças d`água atrás dele. Ele conversava com alguém. Quando o vento bateu, soprando a chuva na diagonal, eu vi formas distintas de pelos menos treze pessoas que o seguiam. Ele olhou pra trás e riu, me dando a certeza de que dona Rosália estava certa. Aquele homem maldito, que chegou com a chuva e se foi com ela, colecionava fantasmas. E ela, assim como seu filho, era agora uma das peças da coleção.

Escrito por A. S. Vieira 

sexta-feira, 13 de março de 2015

Especial Sexta-Feira 13- 13 filmes de terror que chegam em 2015



Apague as luzes, hoje é Sexta-Feira 13.

Data perfeita para assistir filmes de terror e para comemorar preparamos uma lista macabra com 13 filmes de terror que devem chegar aos cinemas em 2015, confira:


13- Renascida do Inferno


O primeiro longa-metragem de David Gelb conta a história de um grupo de estudantes de medicina que conseguem descobrir o segredo para fazer pessoas mortas voltarem a vida, só que o resultado não sai como esperado e o comportamento dos que retornam a vida muda bruscamente. 

Previsão de estreia: Já está em cartaz nos cinemas

Trailer:




12- Amaldiçoado




Um jovem de 26 anos de idade descobre um dia, quando acorda, que sua namorada foi estuprada e assassinada. Ele é imediatamente apontado como principal suspeito, o que o obriga a partir em busca do verdadeiro responsável. Sua arma será o par de chifres que crescem em sua cabeça, e forçam as pessoas que lhe encontram a revelarem seus segredos.

Previsão de estreia: Sem data

Trailer:




11- Corrente do Mal




O terror aplaudido em Cannes conta a história de uma jovem de 19 anos de idade, Jay (Maika Monro), o outono se trata de escola, meninos, e fins de semana no lago. No entanto, depois de um encontro sexual aparentemente inocente, ela de repente se vê atormentada por visões tiradas de um pesadelo; ela não pode se livrar da sensação de que alguém, ou algo, está a seguindo. À medida que a ameaça se aproxima, Jay e seus amigos devem de alguma forma escapar dos horrores que estão apenas a alguns passos atrás.

Previsão de Estreia: Sem data

Trailer:



10- Goosebumbs


Numa homenagem aos livros clássicos e à série de TV Goosebumps, chega aos cinemas em 2015 um filme dirigido por Rob Letterman (“Monstros vs Alienígenas”) e estrelado por Jack Black. Os protagonistas serão duas crianças, uma das quais é sobrinha do escritor R. L. Stine (autor dos livros originais), cujos monstros imaginários terão ganhado vida na cidadezinha de Greendale.

Previsão de Estreia: 03 de setembro

Trailer não disponível, confira a abertura antiga do seriado:


Goosebumps Intro por renansimoes


9- Jessabelle: O Passado Nunca Morre




Após sofrer um acidente automobilístico, Jessie (Sarah Snook) é forçada a retornar para a casa do pai, onde tenta lidar com suas pernas imobilizadas. Ela ainda terá de enfrentar a fúria de um espírito, chamado Jessabelle, que pode ter relação com as circunstâncias misteriosas de seu nascimento.

Previsão de Estreia: 09 de abril

Trailer:




8- Poltergeist- O Fênomeno



O lendário cineasta Sam Raimi e o diretor Gil Kenan contemporizam o clássico sobre a família que vive em uma casa assombrada por forças malignas. Quando as terríveis aparições se tornam mais frequentes e a filha mais nova é capturada, a família deve se unir para resgatá-la antes que ela desapareça para sempre.

Previsão de Estreia: 23 de julho

Trailer:




7- Frankestein



Uma nova versão da história criada por Mary Shelley estreia no segundo semestre de 2015. O filme será contado pelo ponto de vista de Igor (Daniel Radcliffe), o famoso ajudante de Victor Frankenstein (James McAvoy).

Previsão de Estreia: 1º de outubro

Trailer: Não Disponível


6- A Entidade 2


A sequência do filme de 2012 acompanha uma mãe com dois filhos gêmeos que se muda para uma casa rural. Lá, eles começam a sofrer experiências assustadoras. Tudo indica que a entidade voltou para atormentar!

Previsão de estreia: 03 de setembro

Trailer não disponível, confira o trailer do primeiro filme:





5- Escoteiros x Zumbis




Patrick Schwarzenegger é um dos protagonistas desta comédia de horror sobre três escoteiros que se unem para salvar a cidade de um ataque de zumbis, o problema é que ninguém acredita neles.

Previsão de estreia: 31 de dezembro

Trailer: Não disponível


4- Crimson Peak


Com Tom Hiddleston, Jessica Chastain, Charlie Hunnam e Mia Wasikowska, o novo filme de Guillermo Del Toro promete arrepiar o mês do Halloween. O longa se passa no século XIX, onde uma escritora começa a descobrir segredos assustadores sobre seu marido.

Previsão de estreia: 22 de outubro

Trailer: 




3- Paciente Zero


Depois de uma pandemia que quase aniquilou a raça humana, a maioria dos sobreviventes se transformaram em zumbis, ou “infectados”. Em meio a esse caos, surge um homem com a habilidade de falar com essas criaturas, que liderará a busca pelo paciente zero. 

Previsão de Estreia: 24 de setembro

Trailer: Não disponível


2- Atividade Paranormal 5




O quinto filme da franquia de terror ainda é uma incógnita para os espectadores. Inicialmente, ele foi programado para 2014, depois adiado para 2016, e finalmente adiantado para 2015. Nenhuma imagem oficial foi divulgada, nem trailers, e a história permanece secreta - algo estranho para um filme que pretende chegar aos cinemas dentro de poucos meses. Mas como a produção é relativamente barata e fácil de ser filmada. Então não seria uma surpresa este ser o filme com maior rendimentos nas bilheterias desse ano.

Previsão de Estreia: 22 de outubro

Trailer: Não disponível


1- Sexta-Feira 13



E para fechar nossa lista com chave de ouro não poderia faltar esse filme obrigatório para a data e olhem só que coincidência macabra, esse ano será o décimo terceiro filme da saga “Sexta-feira 13”, ele tem data para chegar, mas, por enquanto, é uma produção cercada de mistérios. Nem o diretor, nem o elenco, nem o enredo foram divulgados até o momento.

Previsão de Estreia: Sem data

Trailer: Não disponível