Clube Brasileiro de Trens Fantasmas: 2014

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Pegadinha do Papai Noel zumbi


O Papai Noel se cansou de entregar presentes e resolveu tocar o terror no último Natal, isso é o que acontece nessa divertida pegadinha nacional feita pelo canal Boom, confira a versão zumbi do bom velhinho aterrorizando geral dentro de um elevador:


quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Decoração de Natal inspirada em Lovecraft


Diretamente do fundo do mar para o seu Natal, as obras do escritor Lovrecraft ganharam vida nessa incrível decoração de Natal, desde a guirlanda, a árvore natalina e até mesmo a mesa da ceia entraram no clima e ganharam tons marítimos dando destaque para a temida criatura Cthulhu, a grande estrela da decoração.

Confira as fotos e boas festas!



Gostou?
Essa é uma criação da artista Liquidnight, confira mais fotos em seu Flickr

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Lendas do Natal- Nuuttipukki, o verdadeiro Papai Noel (Finlândia)


Hoje é o último dia do especial "Lendas do Natal" e para encerrar com chave de ouro vamos viajar até a terra onde o Papai Noel nasceu.

É impossível ir para a Finlândia e não ouvir comentários sobre lá ser a terra do Papai Noel, a lenda do Bom Velhinho varia em diferentes partes do mundo, porém todas elas concordam em uma coisa, o local onde ele nasceu é mesmo na Lapônia finlandesa.

Na Finlândia o Papai Noel é chamado Joulupukki (lê-se ”iôulupuki”) e o significado do nome é um tanto curioso. ”Joulu” significa natal em finlandês e ”pukki”, tem vários significados, desde bode, antílope, a um homem velho ”fanfarrão”. Pode parecer sem sentido para nós mas a origem do personagem na cultura finlandesa, que ao que tudo indica data do começo do século XVIII, tem tudo a ver com essa descrição.


O originalmente chamado Nuuttipukki era o personagem central de uma festa pagã, celebrada na Finlândia e na Suécia, no dia 13 de janeiro, conhecida como dia de São Knut (Nuutinpäivä, em finlandês). Neste dia, pessoas andavam pelas ruas vestidas com roupas de pele de animais e máscaras. As crianças, que seguiam a tradição com suas fantasias, percorriam a vizinhança apresentando cantigas tradicionais em troca de doces e presentes.

Dentre os rapazes, a tradição era um pouco diferente. Andavam pelas ruas com um casaco forrado de pele grossa, virado do avesso, e uma máscara com um par de chifres de antílope na cabeça. Seu papel era assustar as crianças e bater de porta em porta pedindo por comida e bebidas alcoólicas, principalmente cerveja.

Acreditava-se que parentes mortos viriam visitar as famílias na noite do Natal. E a melhor maneira de celebrar a festa seria disfarçado, para os mortos não ficarem com raiva e se vingarem de algum dos parentes vivos. Essa foi a premissa para as pessoas naquela época não deixarem de ir beber cerveja e jantar com seus vizinhos no Natal. Os celebrantes permanecem desconhecidos, indo de casa em casa, e o principal entretenimento para os anfitriões era tentar adivinhar quem eram os convidados.

Ao contrário do Papai Noel que conhecemos o Nuuttipukki era fanfarrão e nada amigável. Não se sabe exatamente quando a história mudou. O processo foi, provavelmente,uma fusão contínua de antigos e novos costumes com crenças populares, partindo de fontes variadas e influência externa (principalmente a lenda do São Nicolau). Mas o Papai Noel finlandês, o Joulupukki de hoje em dia, só começou a ser realmente popularizado no país já no final do século XIX, início do XX, como uma versão boazinha do assustador Nuuttipukki, esse sim, o verdadeiro Papai Noel.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Lendas do Natal- Brownies, os duendes escoceses (Escócia)


Hoje vamos viajar até a terra do Monstro do Lago Ness, a Escócia, lá o Natal nunca foi uma festa muito esperada pela população Os escoceses não dão a menor importância para o Natal, a festa mais tradicional no fim do ano é a celebração do Ano Novo, chamado Hogmanay. Mesmo assim existem diversas lendas envolvendo o Natal escocês. 

A lenda que vamos falar também explica o motivo dos escoceses nunca apagarem o fogo das lareiras na véspera da Natal até os dias de hoje, na Escócia existe uma antiga superstição que diz dar má sorte apagar o fogo na véspera de Natal porque é nesse tempo que os duendes estão no exterior e somente um fogo aceso pode impedi-los de descer pela chaminé e causar danos nas casas.

Os Brownies não são criaturas maléficas, eles são os duendes escoceses, de acorda com a lenda eles moram nas casas da Escócia e fazem trabalhos domésticos em troca de presentes e oferendas. Os Brownies são descritos como homenzinhos de pele amarronzada. São mais ouvidos do que vistos. De espirito prestativo e benéfico, podem se tornar malignos se contrariados. No Natal eles podem sentir ciúmes devido a troca de presentes e por isso devem ser mantidos do lado de fora e a forma eficiente de fazer isso é acendendo a lareira.


A palavra Duende vem do espanhol antigo “duen de casa” e significa “dono de casa“. O primeiro relato escrito da palavra foi no tratado do padre Fray Antonio de Fuentelapeña: “El Ente Dilucidado”, em 1676.

Segundo o padre Fray Antonio de Fuentelapeña, os Duendes habitam casas, causando pequenas alterações e desordens. Não são bons, nem maus, nem Anjos, nem Demônios. São seres que se ocupam de coisas bobas como mudar pratos de lugar, se apaixonar por crianças ou cavalos, mas nunca fazem mal a alguém, portanto, não devemos temê-los. São animais irracionais, sensíveis, puramente corpóreos. São compostos de vapores, por isso conseguem se elevar e sustentar no ar com facilidade.

Segundo a descrição popular, os Duendes têm a aparência jovem ou velha, com estatura pequena, orelhas pontudas, usam um chapéu pontudo e são muito travessos. Podem ainda ter nariz grande e pelos.

No dia de Natal, os escoceses fazem fogueiras e dançam ao redor embalados pelo som da gaita escocesa, esse costume é antigo e de acordo com a lenda serve também para espantar os Brownies, já que eles morrem de medo do fogo e de fumaça. Na Escócia, a típica comemoração de Natal é muito discreta, porque a Igreja Presbiteriana em seu passado nunca deu uma ênfase muito grande à festa, no entanto, fiéis de outras religiões comemoram normalmente o Natal. A festa maior, assim, é mesmo o Hogmanay.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Lendas do Natal- "Mari Lwyd: A Égua Fantasmagórica" (País de Gales)



Estão gostando do nosso especial "Lendas do Natal"? 

Hoje era pra ser o último dia, iríamos encerrar com o País de Gales, porém está tão legal e surpreendente descobrir lendas e tradições que nunca imaginamos existir e por isso decidimos prorrogar o término para a semana do Natal.

Nossa viagem pela Europa continua, antes do cristianismo se difundir pela Europa, em dezembro aconteciam diversas festas pagãs para celebrar o inverno, uma delas é celebrada até hoje, se trata da "Mari Lwyd", que ocorre no último dia do ano em muitos lugares do País de Gales. 


Lá as pessoas saem pelas ruas para invadir casas e pubs carregando a ‘’Mari’, um boneco com a caveira de uma égua como cabeça. Uma vez lá dentro, o entretenimento continua com a Mari correndo e fazendo relincho com suas mandíbulas que ficam expostas para fora, criando o caos, crianças assustadas e (talvez até mesmo adultos) são comuns. Depois de passar o momento do susto, os moradores das casas ou frequentadores dos pubs invadidos cantam canções tradicionais e fazem rimas para a égua amaldiçoada ir embora. 

Alguns estudiosos acreditam que a comemoração do moderno Halloween adaptou elementos dessa antiga tradição gaulesa, o famoso "Gostosuras ou Travessuras?", basta substituir os doces pelas canções tradicionais gaulesas para ver a semelhança entre as comemorações.

Essa tradição começa ao anoitecer e termina apenas ao nascer do sol, nas primeiras horas da manhã ainda é possível ver a temida égua invadindo alguns lugares, essa tradição gaulesa é tradicional apenas no País de Gales e é bastante comum ocorrer na véspera de Ano Novo.

Então fique esperto, se estiver no País de Gales no fim do ano e ouvir um relincho fantasmagórico na sua porta é bom que saiba alguma canção tradicional gaulesa para a égua ir embora ou irá acordar no Ano Novo com a égua na sua cama.



Confira um vídeo que mostra as comemorações:

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Lendas do Natal- Neve, bruxas e gnomos por toda parte (Noruega)


Hoje vamos falar da Noruega, terra onde os índices de criminalidade são baixos, onde as crianças andam sozinhas na neve até tarde da noite.. "E elas não ficam doentes?", você da geração "Não vai lá pra fora que está chovendo" deve estar se perguntando, temos outra notícia para te dar, na Noruega também está a população considerada a mais saudável do mundo. Pelo visto é melhor brincar descalço na neve do que se entupir de antibióticos. A Noruega também fica em primeiro lugar como o país com maior qualidade de vida do mundo.

Com tantas crianças brincando na neve é normal que a casa fique toda suja. Se você estiver na Noruega no Natal e quiser dar uma varrida na casa para o feriado e não encontrar a vassoura, não estranhe. Lá, acredita-se que, na véspera do feriado, as bruxas más e espíritos malignos saem por aí à procura de uma vassoura pra passear. Portanto, as vassouras devem ser escondidas pelas mulheres enquanto os caras vão dar tiro de espingarda no quintal pra ajudar a espantar esses seres maléficos.

As bruxas estão ligadas ao passado da Noruega. Com auge no século 17, a onda de perseguições a pessoas supostamente ligadas à feitiçaria causou cerca de 50 mil mortes por toda a Europa. Na Noruega, a maioria das execuções aconteceu em Vardo, uma das primeiras cidades a se formar no país. Incapazes de reunir provas concretas, os oficiais do Tribunal do Santo Ofício interrogavam e torturavam centenas de acusados e, como teste final, os atiravam ao mar. Se o corpo boiasse, era prova de culpa, e a pessoa seguia para a fogueira. Documentos resgatados apontam que nenhum corpo jamais afundara. Nesse mesmo local, foi inaugurado, em junho de 2011, o Steilneset Memorial, espaço dedicado à memória das vítimas projetado pelo famoso arquiteto Peter Zumthor.

A partir do século 17 surgiu várias lendas ligadas ao retorno de bruxas que foram mortas e voltavam para se vingar na véspera de Natal, por causa dessas lendas antigamente a porta dos celeiros eram marcadas com uma cruz para manter afastadas as bruxas e os espíritos do mal, e a cruz era também usada como decoração no pão, na manteiga ou no teto acima da mesa do Natal. 

Frequentemente as mulheres deixavam a comida de fora até o dia depois do Natal caso espíritos do mal e "pequenas pessoas" resolvessem visitar a fazenda durante a noite. O nisse não podia ser esquecido, caso contrário a fazenda poderia ter má sorte. 

E quem são essas "pequenas pessoas" que gostam de visitar as fazendas ao anoitecer?


Os fjøsnissen vivem nas florestas e gostam de pregar peças nas pessoas caso não sejam alimentados


Elas habitam as partes mais profundas da Terra e são donas de todos os tesouros ali contidos tais como metais e pedras preciosas. Estamos falando dos gnomos, afirma a lenda que o personagem nasceu na Noruega, onde Frederik Ugarph encontrou uma pequena estátua de madeira medindo apenas quinze centímetros de altura com uma inscrição com os seguintes dizeres: “Gnomo, estatura real”. 

Os Gnomos são seres de pequena estatura, e por sua íntima ligação com a Terra, desenvolveram grandes habilidades para lidar com ela. Trabalham nas minas escavando minerais valiosos, especialmente ouro e prata, com os quais constroem ferramentas valiosas. Existem gnomos do sexo masculino e gnomos do sexo feminino e, além das diferenças anatômicas, distinguem-se por sua vestimenta. Os gnomos homens vestem-se com uma bata geralmente de cor azul, calças verdes ou marrons e sapatos que variam que, dependendo da localidade onde vivem podem ser botas de feltro, sapatos de casca de bétula ou tamancos de madeira, além de seu chapéu, elemento mais característico de sua indumentária. Trata-se de um pontiagudo gorro vermelho, feito de feltro e sólido desde a base até a ponta. As mulheres gnomas, por sua vez, vestem-se com roupas escuras, mais precisamente cor de cáqui assemelhando-se dessa forma, à folhagem evitando ser presa fácil dos humanos. 

Há diversas espécies de Gnomos, entre eles estão os gnomo da floresta, o do deserto, o do jardim, o doméstico, o da fazenda e o gnomo siberiano. 

O Gnomo vive aproximadamente 400 anos e quando se aproximam dessa idade, já começam apresentar sinais de envelhecimento tais como perda da memória e da agilidade. Essas criaturas não são imortais e quando é chegada a hora, o gnomo, acompanhado de sua esposa, se encaminham para a Montanha da Morte e então nunca mais são vistos. Depois disso, a árvore que receberam ao nascer, vegetal que todo Gnomo recebe ao nascer chamada de “A Árvore do Aniversário” , começa a definhar até que finalmente seca e morre. 

Vivem em perfeita sintonia com os animais, até mesmo os mais ferozes e perigosos, com quem se comunicam com facilidade pois são capazes de falar a linguagem de toda a fauna habitante das floretas e por conseguinte tem a capacidade de entender seus problemas. Eles têm sua própria linguagem e o rúnico antigo é o nome dado à língua utilizada por esse povo, muito embora os gnomos falem e compreendam perfeitamente a língua dos homens.

Mas a cultura norueguesa é muito rica e também tem os “fjøsnissen”. Eles são como gnomos que vivem na floresta e pregam peças nas pessoas caso não sejam alimentados. Por isso, no dia 23 de Dezembro (lille juleaften) os pais ajudam as crianças a prepararem um prato chamado grøtt, o nosso arroz doce, e deixam um pouco na varanda para que os fjøsnissen possam comer e não fiquem irritados.

Placa em área verde da Noruega informa que é proibido tirar fotos, o motivo?  Local de privacidade das bruxas

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Lendas do Natal- "Krampus: Os Demônios do Natal" (Áustria)


Na Áustria, a tradição natalina no começo de dezembro é de se vestir de Krampus e sair pelas ruas apavorando os pequenos, lá a tradição é a “Krampusnacht” — ou “A Noite do Krampus” em tradução livre —, durante a qual vários grupos de demônios com muitos participantes desfilam pelas ruas.

Também permanece existindo na Áustria a tradição de trocar cartões com imagens do ser, os chamados Krampuskarten (Cartões do Krampus), com imagens da criatura atacando/atrapalhando crianças, ou até mesmo insinuando-se para mulheres. Os cartões geralmente vem com o escrito Grüß vom Krampus (Lembranças do Krampus) e acompanham poemas e frases maliciosas, engraçadas ou assustadoras.

Antigamente era muito comum na Áustria os pais pagarem para pessoas fantasiadas de Krampus surrarem as crianças bagunceiras com varas. Hoje em dia isso não é permitido, a Áustria foi um dos primeiros países do mundo a aprovar a "lei da palmada", agressões contra crianças é punido de forma bem mais severa do que no Brasil, lá é impossível encontrar país dando tapas nos filhos em público.

As fantasiadas de Krampus são bem elaboradas, algumas das máscaras mais elaboradas geralmente são talhadas em madeira, contam com chifres de cabra de verdade e chegam a custar € 600 (cerca de R$ 2 mil). O traje tradicional completo, feito com pele de ovelha ou cabra e demais apetrechos, chega a custar entre € 500 e 600 (entre R$ 1.600 e R$ 2 mil aproximadamente). Provavelmente bem mais caros do que muitas fantasias de Papai Noel!


O Krampus, como você pode ver nas imagens, é representado como uma criatura bestial — com chifres de cabra, cascos de fauno e o corpo coberto de pelos — de aparência horripilante, e sua origem está relacionada ao folclore germânico. Há milhares de anos, antes do surgimento do Cristianismo, existia na Europa uma grande variedade de lendas associadas à realização de festejos e sacrifícios para honrar as divindades, para que no próximo ano a colheita fosse farta.

As celebrações costumavam ocorrer no solstício de inverno, e era comum que as pessoas se fantasiassem de demônios e saíssem pelas ruas para pedir comida e bebida. Essas tradições acabaram sobrevivendo ao tempo e se misturando às festividades cristãs, já que o solstício também coincide com a época em que se comemora o Natal.

De acordo com a lenda, o Krampus aparece na noite do dia 5 de dezembro e fica perambulando pelas ruas durante duas semanas, arrastando correntes enferrujadas e tocando sinos para assustar as crianças. Hoje em dia, jovens rapazes se fantasiam com trajes demoníacos superelaborados e saem pelas ruas, e muitos carregam varas e um cesto nas costas que serviria para capturar os desobedientes e levá-los para o inferno.

A tradição de se vestir de Krampus só existem em países que tenham a lenda do São Nicolau, versão medieval do Papai Noel. De acordo com as lendas essas criaturas chegam a cidade antes do São Nicolau, enquanto São Nicolau e seus ajudantes trazem os presentes para as crianças boas, os Krampus punem as crianças más levando-as a um passeio pelo inferno.

Em diversos desses países é comemorado o dia de São Nicolau (6 de dezembro) com desfiles de pessoas caracterizadas de Krampus. As pessoas se vestem de Krampus e saem pelas ruas participando do que é conhecida como Krampuslauf (Corrida do Krampus), uma espécie de desfile/caminhada onde os Krampus andam com tochas e tridentes nas mãos assustando as crianças.

Vale avisar que essa tradição não é exclusiva da Áustria, essa criatura está presente no folclore de diversos países como Hungria, Eslovênia, República Tcheca, Eslováquia, Suíça, França, Croácia, Alemanha, nordeste da Itália e até mesmo no Brasil é possível encontrar resquícios dessa lenda em algumas cidades do Vale do Itajaí em Santa Catarina, no Brasil a criatura é conhecida como "Pensinique" e adquiriu forma humana e ainda por aí arrastando um enorme saco preto para capturar e punir as crianças más, acredita-se que a maléfica criatura se disfarça de andarilho para poder andar pelas ruas sem ser percebida, muitas crianças morrem de medo do que chamam de "O Homem do Saco".



Confira como ocorre a invasão dos Krampus na Áustria:

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Lendas do Natal- Os Terríveis Kallikantzaroi (Grécia)


Quem disse que o Papai Noel é o único que tenta descer pela chaminé durante a temporada de festas? Segundo a mitologia grega, um bando de espíritos semelhantes a duendes tenta entrar nas casas nessa época - em vez de presentes, eles estão decididos a deixar um rastro de destruição.

Como dizem os gregos, não seria difícil confundir os Doze Dias do Natal com os 12 dias do inferno. Isto é, se você acreditar nos Kallikantzaroi.

Esses espíritos míticos, semelhantes a duendes, surgiriam entre o nascimento de Cristo e a Epifania, em 6 de janeiro, dias que eles dedicam a causar um caos incomparável. John Tomkinson, autor de "Haunted Greece: Nymphs, Vampires, and other Exotica" [Grécia assombrada: ninfas, vampiros e outros seres exóticos], compara o comportamento deles com "... torcedores de futebol bêbados saindo de um bar".

E a descrição é adequada aos seus costumes vulgares: "Os Kallikantzaroi causam confusão, intimidam as pessoas, urinam nos canteiros, estragam comida, derrubam coisas e quebram móveis", disse Tomkinson.

As opiniões diferem sobre a aparência deles, por causa da imaginação ativa e da antiga distância entre as regiões da Grécia, separadas por muitas montanhas e os vastos mares da nação helênica. Em consequência, alguns dizem que os Kallikantzaroi se parecem com seres humanos de pele escura, muito altos e feios, que usam tamancos de ferro. Outros dizem que eles são baixos e morenos, com olhos vermelhos, cascos de bode, braços de macaco e corpos peludos. Existe outra escola de pensamento que os descreve como mancos, vesgos e idiotas. Eles sobrevivem com uma dieta de vermes, sapos e cobras.

Durante a maior parte do ano os Kallikantzaroi vivem nas profundezas da terra, mas saem durante os Doze Dias do Natal, aventurando-se sob a cobertura da noite.


Os visitantes não convidados e festivos entrariam nas casas pela chaminé ou, mais ousadamente, pela porta da frente. E, surpresa, as famílias gregas se esforçam para afastar esses monstrinhos. Algumas usam a precaução legendária de uma faca de cabo preto. Outras se defendem pendurando a queixada de um porco atrás da porta da frente ou dentro da chaminé. "É o que é preciso ter durante o Natal", disse Tomkinson. "Não me pergunte por quê."

Pendurar um feixe torcido de linho na porta da frente tende a confundir os Kallikantzaroi, que param para contar as linhas, tarefa demorada que os mantém ocupados até o sol nascer.
O fogo é outro dissuasor: muitas casas mantêm o fogo aceso na lareira durante toda a temporada. A fumaça afastaria os Kallikantzaroi da chaminé. Na véspera do Natal, o patriarca da família atira no fogo um grande tronco de uma árvore espinhosa, como uma pereira ou cerejeira silvestres. Esse tronco de Natal é conhecido como "skarkantzalos", de Kallikantzaroi.

Às vezes se queima um velho sapato, pois o mau cheiro do couro queimado aumenta o efeito repelente. Um punhado de sal, que faz as coisas estalarem, também assustaria as feras.
E os gregos nascidos no dia de Natal correm um risco especial. Isso pode ser considerado uma tentativa de superar Cristo, e a criança pode se transformar num Kallikantzaroi - a menos que a mãe amarre o bebê com alho.


O dia de Natal também é um grande dia de fogos. Os gregos atiram no fogo grãos de trigo ou as folhas verdes de oliveira ou nogueira. O modo como eles se incendeiam prevê se uma pessoa vai sobreviver ao próximo ano e se essa pessoa deixará sua aldeia.

Nos últimos anos, a árvore de Natal ganhou popularidade em toda a Grécia. Mas alguns gregos preferem a moda antiga, optando por um ramo de manjericão pendurado sobre uma tigela cheia de água. Uma vez por dia alguém da casa, geralmente a mãe da família, usa o ramo para espirrar água por toda a casa, para afastar as criaturas.

Mas a única cura realmente confiável é quando padres da aldeia abençoam as águas na véspera da Epifania, que marca o fim dos Doze Dias do Natal. Eles costumam visitar as casas para borrifar água benta perfumada com manjericão para afastar os maus espíritos durante o ano novo.

Na véspera da Epifania em Chipre, os aldeões atiram panquecas sobre o telhado para dar aos Kallikantzaroi algo doce para comer enquanto eles se preparam para deixar a cidade, talvez para mostrar que não ficaram magoados. Aikaterini Polymerou-Kamilaki, diretora do Centro de Pesquisa Folclórica Helênica em Atenas, diz que os Kallikantzaroi continuam populares em toda a Grécia atual, mesmo nas cidades. Mas hoje em dia eles são relegados a simples mitos - não são mais as feras temíveis que vagam à noite, não se acredita mais que sejam reais.

"Desde a introdução da eletricidade até nas menores aldeias não há mais motivos para alguém ter medo de sair à noite", diz Polymerou-Kamilaki. "Há luzes em todo lugar hoje, e não apenas a noite escura."

Mas mesmo assim dá vontade de dormir com a luz acesa.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Lendas do Natal- "Gato do Natal" e "Grýla- A Troll" (Islândia)



A Islândia tem tradições de natal bem diferentes, e realmente únicas mesmo entre os países nórdicos. Os islandeses gostam de usar bastante luzes coloridas nas decorações natalinas e o terror está sempre representado nas decorações de natal das casas e dos centros comerciais.

A tradição lá não é de um só Papai Noel, mas treze Papai Noéis diferentes, que vem das montanhas um a um nos 13 dias antes do natal. Nos tempos a crença é que ele vinham apenas para pregar peças e roubar comida e utensílios das casas das pessoas. Hoje em dia ainda se acredita nessa parte de pregar peças, mas também existe a tradição de que eles deixam pequenos presentes para crianças que deixam os sapatos na janela. Quer dizer, as crianças comportada ganham presentes, e as mal-comportadas ganham uma batata. 

Então, para as crianças islandesas, o natal significa ganhar treze pequenos presentes nos treze dias antes do natal, esse que são dos Papai Noéis que vivem nas montanhas, e na véspera de natal mesmo elas ganham um presente que é dos pais. 

Gostou da lenda dos treze papai noés?

Porém, ela ainda não acabou.. os papai noéis islandeses não são duendes, gnomos e nem pessoas, são trolls e estão presentes em uma lenda aterrorizante, é a lenda da Grýla, que é uma monstra enorme (uma troll) que é a mãe dos treze Papai Noéis, e ela tem um apetite voraz por criancinhas mal-comportadas, seu prato preferido é sopa de crianças malvadas. Essa lenda é tão assustadora, que existe até uma lei em 1746 proibindo pais de usarem a lenda de Grýla para aterrorizar crianças.

Grýla é uma troll do folclore islandês com apetite insaciável por crianças 


Outro perigo natalino é o Gato do Natal. Ele é um gato monstruoso, do tamanho de uma casa, que ronda a Islândia na noite de véspera do natal e come as crianças que não tem roupa nova para vestir no natal. Por isso, até hoje, é tradição vestir algo novo no natal, nem que seja um par de meias. Eu acho muito bacana as decorações de natal lá da Islândia que mostram o Gato do Natal, sempre bem assustador. Já ouvi dizer que a origem da lenda do gato vem do fato de que nos velhos tempos as crianças costumavam a tecer suas próprias roupas, e os pais então usavam a ameaça do gato para fazer as crianças trabalharem mais rápido para terminar as roupas, porque senão elas seriam comida pelo gato no solstício de inverno.

Gato do Natal é o cadáver de um enorme gato preto amaldiçoado


A prefeitura de Reykjavík organizou uma espécie de exibição misturada com caça ao tesouro muito legal. Eles colocaram projetores em vários lugares do centro da cidade que projetam animações dos 13 Papai Noéis, e da Grýla e do Gato do Natal, em prédios e casas em certos pontos do centro da cidade. fizeram um mapa gratuito mostrando as áreas das projeções, mas sem ser muito específico, para as pessoas terem que procurar cada projeção. Quem encontrar todas as sete criaturas e responder algumas perguntas sobre cada uma delas pode entrar num sorteio para um prêmio.

Criança tira foto em decoração natalina de shopping center representando a lenda de Grýla, o terror é obrigatório nas decorações de natal do país


Abaixo você confere um vídeo filmado pelo site "Vida na Islândia" que mostra um pouco dessa decoração interativa feita pela prefeitura da cidade. A música do vídeo abaixo é um antigo poema sobre o Gato do Natal, nessa versão sendo cantado pela famosa cantora islandesa Björk (clique aqui e confira a tradução).



sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Dica de filme: Coraline e o Mundo Secreto


Sinopse


Entediada em sua nova casa, Caroline Jones (Dakota Fanning) um dia encontra uma porta secreta. Através dela tem acesso a uma outra versão de sua própria vida, a qual aparentemente é bem parecida com a que leva. A diferença é que neste outro lado tudo parece ser melhor, inclusive as pessoas com quem convive. Caroline se empolga com a descoberta, mas logo descobre que há algo de errado quando seus pais alternativos tentam aprisioná-la nesse novo mundo.


Ficha Técnica

Título original: Coraline
Lançamento: 13 de fevereiro de 2009 
Duração: 100 min
Dirigido por Henry Selick
Com as vozes de Dakota Fanning, Teri Hatcher, Jennifer Saunders, etc..
Gênero: Animação 
Nacionalidade: EUA
Classificação Indicativa: Livre



Trailer





Avaliação: Excelente

O que tem de pior: Sinceramente nada, merecia ter ganha o Oscar de melhor animação. A única coisa ruim foi não ter achado cópias legendadas nos cinemas na época.

O que tem de melhor: Trilha sonora que varia do alegre ao sombrio em poucos minutos/ Roteiro que não deixa a história com pontas soltas/ É impossível não querer assistir novamente/ Visual impressionante, criativo e detalhista/ Ao contrário da maioria das animações, essa foi filmada em 3D e por isso o 3D não é escurecido e realça ainda mais os cenários do filme!

Confira um pouco do visual do filme no vídeo abaixo:




Curiosidades

Coraline e o Mundo Secreto é a primeira animação em stop-motion a ser feita originalmente para o formato 3D

Em 2010, o longa foi indicado ao Oscar, Globo de Ouro e Bafta na categoria de Melhor Filme de Animação

Existem vários easter eggs escondidos no filme, em um deles a mãe alternativa da menina despeja em uma vasilha uma gema que forma a imagem do personagem principal de O Estranho Mundo de Jack (1993), também dirigido por Henry Selick

O orçamento para a produção da animação foi de US$ 60 milhões

- Existe uma pequena cena escondida após o término dos créditos finais do filme




Bônus

Confira música tema do filme:

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Pegadinha do Palhaço Assassino 4- O Massacre


Já virou clássico! Quem não lembra da primeira Pegadinha do Palhaço Assassino? Por conta do sucesso dela, o canal italiano Dm Pranks resolveu fazer uma sequência, O Retorno do Palhaço Assassino.

O sucesso foi tão grande que eles lançaram a terceira pegadinha da série e dessa vez inovaram ao colocar 2 palhaços assassinos. Agora os italianos do Dm Pranks estão de volta com um massacre de palhaços assassinos, confira:

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

A Mulher de Preto está voltando..


A Diamond Films Brasil liberou nessa semana o cartaz nacional de "A Mulher de Preto 2: Anjo da Morte"(confira acima). O longa traz a continuação do romance “A Mulher de Preto”, da autora Susan Hill. 

"Durante os atentados de Londres na II Guerra Mundial, os professores Eve Parkins (Phoebe Fox) e Jean Hogg (Helen McCrory) lideram um grupo de crianças na evacuação de Crythin Gifford, uma vila remota fora da cidade. Quando o grupo passa a residir no Eel Marsh House, 40 anos depois em que Arthur Kipps (Daniel Radcliffe) investigara o primeiro assombro, Eve logo percebe que eles não estão sozinhos. Quanto mais tempo eles ficam em casa, mais o passado terrível da residência desvenda-se e o espírito maligno que se esconde ao redor deles ameaça o bem-estar das crianças. Com a ajuda de um piloto (Jeremy Irvine), Eve faz tudo o que ela pode para proteger as crianças e descobrir a verdade por trás da Mulher de Preto."

A Mulher de Preto 2: Anjo da Morte (The Woman in Black 2 Angel of Death) estreia nos cinemas nacionais dia 22 de janeiro de 2015.


Confira o Trailer:

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Lendas do Natal- La Befana (Itália)


O Natal está chegando, época das crianças que se comportaram esperarem o Papai Noel e seus duendes colocarem os presentes embaixo da árvore, certo? 

Não na Itália, lá elas esperam uma bruxa, chamada "Befana". De acordo com o folclore, na noite antes da festa de Natal no fim de dezembro, Befana voa em sua vassoura entregando presentes. Muito parecida com a lendo do Papai Noel, ela deixa doces, frutas, ou pequenos presentes nas meias das crianças que se comportaram bem ao longo do ano. Por outro lado, se uma criança é desobediente, ele ou ela pode esperar encontrar um pedaço de carvão deixado por La Befana.

Quem viajar neste período para a Itália (além de frio e neve) vai encontrar algumas “befane” pelas feirinhas e decorações. A palavra “Befana” deriva do grego “epifania” que quer dizer aparições, manifestações.

Befanas decoram residência em Veneza, tradição natalina italiana

Em algumas lendas cristãs, diz-se que Befana tinha sido visitada por três Reis Magos, ou homens sábios, em seu caminho para visitar o menino Jesus. Diz-se que eles lhe pediram direções, mas Befana não sabia como encontrar o recém-nascido. No entanto , por ser uma boa dona de casa, ela os convidou para passar a noite em sua pequena casa arrumada. Quando os Reis Magos na manhã seguinte, convidaram Befana para se juntar a eles em sua busca. Befana recusou , dizendo que ela tinha muitos trabalhos domésticos para fazer, mas depois ela mudou de ideia. Ela tentou encontrar os sábios e o novo bebê, mas não conseguiu, por isso ela agora voa em sua vassoura entregando presentes para as crianças. Talvez ela ainda esteja procurando o bebê Jesus.

Em outros contos de origem católica, La Befana é uma mulher cujos filhos morreram em uma grande praga, e ela segue os magos a Belém. Antes de sair de sua casa, ela faz as malas com alguns presentes simples – uma boneca que pertencia a um de seus filhos, e uma túnica costurada a partir de seu próprio vestido de noiva. Estes presentes são simples tudo o que ela tem para dar ao menino Jesus, mas ela não é capaz de localizá-lo. Hoje, ela voa para entregar presentes para as outras crianças, na esperança de encontrá-lo.

Essas são as versões cristãs da lenda, porém os estudiosos dizem que a história de La Befana foi moldada por influências católicas, pois suas origens são pré-cristãs.

Nos tempos antigos, os romanos acreditavam que no prazo de 12 dias após o solstício de inverno seria celebrado a morte e renascimento da Mãe Natureza. E as doze figuras femininas lideradas por Diana, a deusa da lua e da vegetação, voariam sobre os campos para torná-los férteis.

A tradição de sair ou trocar presentes podem dizer respeito a um costume romano precoce que ocorre no meio do inverno, na época da Saturnália. Befana também pode representar a passagem do ano, com a imagem de uma mulher velha, para ser substituído por um novo ano.

Existem diversos poemas italianos dedicados a essa lenda, confira um deles:

Viene, viene la Befana
Vien dai monti a notte fonda
neve e gelo la circondan..
neve e gelo e tramontana!
Viene, viene la Befana

A tradução:

Vem, vem, Befana
Vem dos montes na noite profunda
Neve e gelo a circunda
Neve, gelo e tramontana!
Vem, vem, Befana

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Until Dawn- O terror ocidental chega ao mundo dos games


Until Dawn é um game de terror exclusivo do PlayStation 4 que promete causar muito medo nos jogadores em 2015. 

O enredo segue um grupo de 8 adolescente, enquanto eles passam a noite numa cabana no alto de uma montanha nevada, isso na data do aniversário da morte de um de seus amigos, o que eles não sabem é que estão sendo caçados por um serial killer insano e dotado de poderes sobrenaturais.

O grande diferencial do game é o terror ocidental, franquias clássicas de terror norte americanas são referências. “Nos inspiramos nos filmes de terror, como ‘Sexta-Feira 13’ e ‘Hora do Pesadelo’”, explica Pete Samuels, produtor executivo do jogo. “Você não assistia esses filmes sozinho e sim ao lado dos amigos, todos juntos no sofá˜. Da mesma forma, “Until Dawn” é um game que pode ser apreciado tanto por quem está jogando quanto pelos amigos ao redor.

E como o mercado de games cresceu bastante no Brasil o jogo chegará em 2015 com opções de dublagem e legendas 100% em português.


Confira o Trailer:



Confira algumas imagens: